sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Maternidade real

Coluna Conversa de Amigos por Simone Steilein Nosima


Cheguei!!

Quando aceitei a proposta de escrever para o blog, com temas de psicologia, maternidade e família, logo pensei na minha relação com a maternidade. Sinto-me cada vez mais ligada à minha filha e ao meu marido. E as delicias e dificuldades da maternidade fazem parte do meu dia a dia. Como mãe, esposa e psicóloga, estou aqui para aproximar vocês da Psicologia de uma forma simples e agradável. Vamos lá?


Maternidade real

Às vezes, na imagem que faço de mim mesma e das outras mães, somos representadas por polvos. De tantos braços que possuímos e pela forma como conseguimos fazer tantas coisas ao mesmo tempo. E entendam que isso não é uma crítica, mas sim a constatação de que nossos papéis são todos importantes e que possuímos grande habilidade para equilibrar todos eles de forma majestosa.
E sim, fazemos isso tudo maquiadas e felizes. Felizes e realizadas em conseguir viver as delicias da maternidade que sonhamos, lá no momento da gestação. Todos os abraços e carinhos. Os sustos quando vemos o serzinho minúsculo ali, tão dependente de nós. E como conseguimos perceber neles a nossa melhor versão? Além da semelhança física os filhos refletem nossa personalidade, nosso jeito de agir e de ser. Somos o modelo, e devemos cuidar para ser o melhor modelo que podemos ser. Acompanhados de todos nossos erros e acertos.


Mas devemos sempre lembrar que a mãe perfeita não existe. Existe a mãe real, aquela que acerta, mas também erra. Que muitas vezes tem dúvidas e fica suscetível ao conselho alheio. A mãe real é aquela que aceita a maternidade como ela é. E que encara os erros com menos culpa, com uma cobrança menor. Com mais confiança em sua capacidade e com mais disponibilidade para avalia os erros e aprender com cada um deles.
A maternidade real é baseada no amor e no afeto. Na aceitação que a mãe tem das suas falhas e suas qualidades. E no desejo materno de buscar o melhor que puder ser. Para conseguir viver a maternidade de forma mais leve abra mão de comparações. Cada mãe é única, cada família é única e deve ser respeitada em sua essência.
Toda mãe ama e educa. Cuida da casa, algumas trabalham fora, outras não. As mães também são esposas, filhas e netas. Amigas e confidentes. Toda mãe é também uma Mulher. E permitir-se viver a plenitude de todos os papéis ajuda a viver com mais vitalidade e energia. Seja você, seja a mãe real que você pode e quer ser.  

Sou Simone Steilein Nosima, psicóloga formada há mais de 12 anos. Já atuei em empresas e hoje dedico-me ao que mais amo, atendendo na minha clínica de psicologia. Sou mãe e esposa, profissional e dona de casa. Apaixonada pela vida, família e livros. Acredito que sempre podemos buscar um caminhar mais leve e feliz.


Um comentário:

Cristiane Lucia Souza Freitas disse...

Muito legal o texto, Si!!! Nos avise dos próximos. ;)

Related Posts with Thumbnails