quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Meu menino cresceu

Que mãe gosta de saber que seu filho cresceu e não precisa mais tanto dela?
Se você disser que gosta eu vou te dizer na lata: MENTIRA!!!
Claro que queremos que eles cresçam e que amadureçam. Mas no fundo achamos que assim eles vão precisar um pouco menos da gente e vamos nos sentindo um pouco inúteis.

Exagero meu, talvez. Mas o fato é que toda mãe que se preze quer o filhote bem protegido embaixo da sua asa e tem a santa inocência que ele jamais sairá de lá.

Até o dia que você percebe que isso não vai acontecer e que ele vai crescer sim e que vai ser ótimo pra ele (e pra vc tb) crescer e sair da nossa asa.

E vem acontecendo por aqui. Francisco não é mais um bebê e eu demorei pra encarar isso. Até outro dia ele era tão frágil e sentia que precisava de mim para tudo. Agora ele tem uma independência que me assusta.

Estamos passando por mais uma dessas fases difíceis para nós, mães superprotetoras, encararmos: ele cresce numa velocidade espantosa. O meu bebê agora não dorme mais no berço e não toma mais mamadeira.



Passamos um período em Curitiba e quando voltamos pra casa percebi que a mamadeira tinha ficado por lá na casa do pai dele. Aproveitei a deixa e fiz a transição da mamadeira para o copo. Senti que era hora dele sair do berço e dormir na cama. E aproveitei para desmontar o berço. (tá, não sem antes relutar uns dois dias em fazer).

Foi há alguns dias que aconteceu a transição mas eu também precisava de um tempo para encarar o fato e para escrever sobre isso. Passados esses dias vejo que foi ótimo para ele e para mim. O meu maior medo sempre foi que ele caísse (já que tem um sono muito agitado). Prevendo um possível desastre tratei de colocar colchão no chão com vários travesseiros e cobertores para prevenir a possível queda... que nunca aconteceu. Ele dorme na sua caminha tranquilamente, se mexe como sempre, mas instintivamente fica lá em cima, nunca chegou a despencar. O colchão continua ainda no chão (e acho que vai ficar ainda por um bom tempo, melhor prevenir né?) mas sinto que é só pra acalmar a minha culpa materna.

E nós estamos agora um passo à frente finalizando o ano com mais uma transição.

Resolvi que precisava dividir com vocês sobre essa transição porque sei que como mães achamos que seremos um pouco menos importantes se eles crescerem... mentira. Cada fase é única e como tal deve ser vivida intensamente. Pra mim e Francisco é a fase das descobertas, das frases e das letras. De crescer como criança e aprender a se virar. E digo para vocês que embora sinta muita falta do meu bebê estou muito feliz vendo meu pequeno grande menino ficando cada dia mais independente e seguro de si.

É a vida. Seguimos em frente e crescemos um pouco mais a cada dia.
Aproveite intensamente cada fase do seu filhote, porque ela é única e especial e deixa saudades. Mas não viva de saudades porque criamos os filhos para o mundo e uma hora ou outra eles seguirão seus próprios caminhos e para nós mães restará estar ao seu lado aplaudindo suas conquistas.

Feliz 2012, amigas.
E que vocês possam aprender e crescer junto com seu filhote nesse novo ano que se apresenta novinho em folha.

bjinhos
Ale e Chico
;o)

domingo, 4 de dezembro de 2011

Truques para fazer seu filho comer melhor

Olá Pessoas

Faz algum tempo que estou pensando em escrever sobre o assunto porque sei que várias mães passam pelo mesmo sufoco que eu. Bom, o assunto hoje é para mães de crianças com inapetência ou que comem muito pouco e tem preguiça de experimentar os alimentos.

Esse assunto é velho aqui em casa, já falei aqui e aqui sobre ele e sobre o desespero de um filho que não come. Francisco é saudável, está dentro da linha normal de crescimento e segundo o médico tem uma saúde de ferro. Mesmo assim eu sempre me desespero na hora das refeições quando ele simplesmente recusa experimentar a comida ou come simplesmente duas garfadas e só. Pensando nisso cheguei até a consultar a nutricionista da antiga escola para conseguir algumas dicas afim de que ele comesse melhor.

Mas nada como a nossa experiência de mãe no dia a dia para saber o que fazer quando nosso filho não come. Depois de diversas tentativas para que ele provasse determinados tipos de alimentos, me conformei que ainda não é o momento para isso. Restou-me então recorrer a alguns truques para que sua alimentação fosse um pouco mais rica e que ele tivesse contato com mais alimentos nutritivos.

Se deixar por conta do pequeno ele vive de bolacha e doce, claro! Mas bem sabemos que não dá pra uma criança em fase de crescimento se alimentar só disso. Pensando nisso encontrei algumas alternativas para que ele comesse um pouco melhor.

Sanduíche do Nemo: será que funciona?




Truques tirados da cartola de mãe:


Como mães às vezes temos que inventar alguns personagens para educar nossos filhotes em diversas situações. Podemos ser professoras, enfermeiras e tantas outras atividades. Às vezes temos que nos desdobrar afim de educar nossos pequenos da melhor maneira.

Até tentei o truque de transformar os alimentos em bichinhos: fiz joaninhas com tomate cereja, florzinha com brócolis e couve flor e outras coisas do tipo mas o Chico achava tudo lindo e não colocava na boca! :(
Foi perda de tempo (e olha que dá trabalho e leva tempo).

Por aqui eu adquiri uma habilidade diferente. Para que ele experimente alguns tipos de alimentos sem fazer careta tive que me transformar em mágica! Isso mesmo! No caso a mágica mãe aqui tem que camuflar os alimentos que ele não prova nas comidas que ele adora. Parece simples mas não é. Enganar uma criança pode ser bem complicado.

{e aqui eu abro um parênteses porque pode parecer forte o lance de "enganar nossos filhos", mas tem horas que isso é necessário para a saúde deles. Digamos que seja uma enganação saudável, para o bem deles}

Então que eu tive a ideia de camuflar alguns legumes no feijão, por exemplo. Ele adora feijão e eu comecei a cozinhar o mesmo recheado de verduras: batata, cenoura, abobrinha, mandioquinha, etc.). Foi a maneira que encontrei dele comer um pouco de verduras. Abaixo vou descrever um pouco as minhas invenções, espero que ajude você também.

Legumes e Verduras no feijão: 
- A receita é simples: Faça o feijão da maneira que está acostumada, mas acrescente meia cenoura em rodelas, uma batata, uma folha couve picadinha, um pedaço pequeno de beterraba (cuidado com a beterraba porque ela solta muito gosto e a criança pode notar). Cozinhe da maneira habitual. Quando for servir para a criança, amasse as verduras. Pronto!! Ela vai ingerir verduras e legumes sem perceber. Mas atenção: Não coloque muitos legumes de uma vez para que a criança não note diferença no sabor do feijão. O que deve prevaler aqui é o feijão.

Sopa de Feijão com Verduras e Legumes: Faço uma variação de sopa de feijão com verduras também, sempre lembrando de amassar e esconder as verduras para que a criança não peça pra retirar. O Francisco adoooora sopa de feijão com macarrão, então comecei a acrescentar as verduras para que fique um pouco mais vitaminado. Ele nem sente a diferença e come tudo.

Sopa de Letrinhas com Verduras e Legumes: o Chico adora sopa de letrinhas, pra não ficar uma sopa ralinha só com batatas eu faço um sopão com todas as verduras e legumes que eu tenha em casa e coloco o macarrão de letrinhas. Depois de cozinhar na panela de pressão para que as verduras fiquem bem molinhas, eu as amasso na sopa. Ele come feliz da vida brincando de encontrar as letrinhas.

Bolinho de Arroz incrementado: esse foi um achado, o Chico adora bolinho de arroz, então inventei de deixá-lo mais incrementado com queijo e tomate. Já tentei usar outros itens mas ele rejeita, então ficamos só com o queijo ralado e o tomate. Basta acrescentar esses ingredientes ao bolinho que você faz normalmente. Pronto. Claro que o bolinho é fritura, então não é tão saudável. Mas se você fizer uma massa mais durinha dá pra colocar no forno sem problemas.

Macarrão à bolonhesa com legumes: Essa invenção eu fiz há pouco tempo, tinha medo de acrescentar algum legume e alterar o sabor. Francisco adora macarrão com molho bolonhesa (de carne moída) então aproveitei que ele gosta e acrescentei meia cenoura ralada e um pedaço bem pequeno de beterraba. (volto a lembrar pra ter cuidado com a beterraba, ela tem um gosto muito acentuado e a criança pode perceber). O bom é que o molho com beterraba fica bem vermelhinho, o Chico adorou. Vou passar uma receita de molho bolonhesa bem rápida e que fica muito saboroso, o Chico come o prato cheio quando faço.

Macarrão à bolonhesa com Legumes:
- 500gr de carne moída de primeira;
- 1 cebola pequena;
- 2 dentes pequenos de alho;
- 1 colher de margarina;
- meia cenoura ralada;
- um pedaço pequeno de beterraba ralada;
- 2 tomates sem pele e sem sementes picados;
- 1 lata de molho de tomate pronto (se preferir faça o seu próprio molho de tomate);.
- tempero à gosto;
- 1 pacote de Spaguetti;
- queijo ralado.

Modo de Fazer:
Comece refogando a cebola na margarina, quando estiver bem dourada acrescente o alho já picado, deixe fritar um pouco. Acrescente a carne moída e tempere com sal e tempero à gosto (eu uso orégano, molho inglês, mostarda e catchup). Refogue a carne um pouco até dourar. Acrescente um pouco de água se necessário para que não grude no fundo da panela. Depois de bem refogada a carne acrescente a cenoura, a beterraba e o tomate, refogue um pouco. Depois acrescente o molho de tomate e deixe apurar com a panela destampada. Mexa de vez em quando. Se achar que o molho está muito grosso acrescente um pouco de água e deixe ferver para pegar o gosto.
Cozinhe o macarrão numa panela separada com um fio de azeite e sal.
Pronto. Sirva em seguida com queijo ralado.

O Francisco adora e nem nota que tem cenoura e beterraba. Se preferir pode bater a cenoura, a beterraba e o tomate no liquidificador, mas dizem que perde um pouco as vitaminas, eu prefiro colocar ralado mesmo.

O mais importante é aproveitarmos o gosto da criança para fazermos as misturas e incrementar um pouco mais aquele alimento. Essas foram as alternativas que eu consegui aqui em casa para que ele comesse um pouco de legumes e verduras. Pode ser que na sua casa não funcione, você vai ter que testar. É só uma dica de uma mãe que sofre na prática o desespero de um filho que não come quase nada.

Eu falo só da alimentação salgada porque o Francisco aceita bem todos os tipos de frutas, então não temos problemas quanto a isso. Se seu filho não gosta muito de frutas a ideia é investir em sucos e bolos que contenham um pouco de frutas que ele não come normalmente.

E é importante observar se seu filho não tem alergia à determinado tipo de alimento.Faça as misturas com cuidado: primeiro teste um tipo, depois outro. Espere uns dias pra ver a reação no organismo dele. Tem crianças que reagem em até dois dias aos alimentos, então aguarde e observe se ele não teve algum tipo de reação até oferecer novamente. Assim você poderá saber exatamente qual alimento causou alergia, assadura ou qualquer reação diferente no seu filho. E se ele teve alguma reação leve imediatamente ao pediatra e explique que introduziu um alimento diferente.

Observando com cuidado essas dicas e truques espero que você consiga também que seu filho se alimente melhor.
Se você tem alguma receita desse tipo que funcionou com seu filho, compartilhe conosco. Lembre-se que muitas mães podem estar passando pelo mesmo que nós.

Espero que o post tenha ajudado.
E se gostaram comentem, participem, divulguem!

Eu adoro saber o que vocês estão achando dos meus posts.

Bjinhos
Ale
;o)

sábado, 3 de dezembro de 2011

Quando dá vontade de sair correndo gritando...


Olá pessoas!

Estou sumida né? Mil desculpas mas é que a vida não tá fácil.
Vocês sabem bem como é criar uma criança de 3 anos e meio né?
Então agora pensem em criar, educar, fazer comida, lavar roupa e guardar, limpar a casa, levar pra escola, dar banho, escovar os dentes, guardar brinquedos e ainda arranjar um tempinho pra trabalhar no meio disso tudo.

Imaginou? Pois essa tem sido a minha vida há 6 meses desde que me separei. Cuido do Francisco sozinha desde então e quero muito voltar a escrever sempre no blog mas quando consigo tomar meu banho e parar uns 5 minutos pra cuidar da minha vida, só quero saber de dormir porque a coisa toda recomeça no dia seguinte exatamente às 6 da matina.

Momento "coitada de mim" à parte, estou morrendo de saudades do blog e de todas vocês!

Francisco tá crescendo, já é praticamente um "homem" como ele mesmo diz. E como tal já tem suas manias e gostosuras próprias dessa nova fase. É uma criança muito especial, amigo, cuidadoso, carinhoso, mas também birrento e cheio de vontades. Quando quer uma coisa é difícil tirar da sua cabeça, ele vai testando até você chegar no limite da paciência. Essas coisas todas do dia-a-dia são deliciosas, mas também cansam. Todos os dias repetindo as mesmas frases, parecemos um pouco como discos riscados.

Algumas frases bem recorrentes por aqui:

- Não mexe aí.
- Não filho, não desenhe nos meus livros, a mãe te dá um papel. (Três dos meus livros preferidos estão agora autografados pelo Francisco!)
- Guarde os seus brinquedos, é a 5ª vez que eu te peço filho!
- Vem escovar os dentes, AGORA!
- Massinha em cima da cama nãããããoooo!
- Não aguento mais a música da Galinha Pintadinha, vamos trocar o dvd?
- Quer fazer pipi? - e a a variação: quer fazer cocô?
- Coloca o chinelo no pé, AGORA!
- Depois eu faço não, vai fazer agora! - e tem a variação: Amanhã eu faço não, to mandando fazer agora!
- Só vai ganhar besteirinha depois que comer tudo.
- Só mais uma colherada e você ganha a besteirinha!
- Quer que eu te ajude a comer?
- Agora chega de desenho que você tem que dormir.

Só mais uma colherada, manhê!
Bom, a lista é enorme e eu poderia ficar horas aqui tagarelando.
Ser mãe não é fácil e educar menos ainda.  Educar uma criança de 3 anos e meio totalmente sozinha é mais complicado ainda. A divisão na educação do filho é muito importante, necessária e deveria ser obrigação. Afinal é responsabilidade de pai e mãe educar seus filhos.

O fato é que eu estou extremamente cansada de não ter com quem dividir responsabilidade nenhuma. Esse post é um desabafo sim, desculpem-me amigas. Mas tem horas que tenho vontade de jogar a toalha e fugir correndo porta afora. Óbvio que não faço nem nunca farei. Faço ele dormir, coloco no berço e sento no chão da sala pra chorar. Sou humana, tenho necessidades, preciso de lazer também.
Mas ultimamente vivo pra ser mãe, 24 horas por dia, 5 dias por semana. E só.

Como mãe não sou perfeita como gostaria. Nem sempre a gente acerta, nem sempre a gente faz o que gostaria, do jeito que considera certo. Eu queria poder sentar e fazer coisas simples com meu filhote, como desenhar, ler um livro, montar um quebra-cabeças. Mas tem vezes que é preciso ligar o dvd e deixar que ele veja os desenhos enquanto termino o trabalho pra entregar pro cliente.

Cedo às trocas para ele comer pelo menos metade do prato de comida, não me julguem mais do que eu já me julgo. Gostaria de poder fazer diferente, mas com uma criança que não come às vezes é necessário propor alguma troca. Mãe de criança que come direito não sabe muito bem o que é isso, mas as mães de crianças que tem preguiça de comer, como o meu filhote, sabem bem do que estou falando. Todo dia a mesma ladainha diante do prato de comida: só mais uma garfada, filho. Sabia que o Shrek adora cenoura? (essa não cola muito, ele não come cenoura nem por decreto, já desisti).

Claro que eu sei que estou errando em muitos aspectos mas acho que tenho acertado na maioria das vezes. Francisco é uma criança educada (na maioria das vezes), todos que convivem com ele notam isso. Ele sabe se comportar, é amigo, carinhoso, preocupado em ajudar. É uma criança apaixonante. Claro que isso é mérito dele, mas acho que tenho uma certa participação também, né?

Além de lindo, vocês tem que concordar!

Faz tempo que eu estava com vontade de escrever sobre isso, dessa sobrecarga em cima de nós mães. As mães solteiras sabem bem do que estou falando, mas as casadas muitas vezes também não podem contar com os pais de seus filhos. Me pergunto porque os homens acham que educar é responsabilidade somente das mães, né?

Eu queria lembrá-las que além de mães, somos MULHERES. E como tal temos necessidades, precisamos também de um tempo. Vez ou outra largue tudo e faça algo por você. Eu mais do que ninguém sei como é difícil fazer isso. A gente acaba não se desligando do filhote e fica pensando se ele está bem. Mas eu vou te contar um segredo, não espalhe: ELE ESTARÁ!

Temos que aprender a dividir responsabilidades. Se ele está com o pai, desligue. Esqueça que é mãe por uma tarde, por exemplo. Vá ao cinema com suas amigas, ao shopping, ou até mesmo à manicure. Faça algum programa totalmente "mulherzinha". Nós merecemos e precisamos desse tempo.

Se você não cuidar um pouco de si não vai poder cuidar de mais ninguém e quem perde com isso é o seu filho se você ficar doente.

Por aqui é complicado, já que estou realmente sozinha. Não posso contar com ninguém (nunca pude, na verdade, mas agora cada vez menos) pra me ajudar com o Chico, mas quando dá tento me desligar totalmente.

Bom, esse post é só para lembrar que somos humanas, antes de sermos mães. Cuide de você do mesmo jeito que você cuida do filhote. Ele vai agradecer no futuro por você ter cuidado um pouco de si.

Precisava dividir com vocês um pouco desse cansaço, espero que me entendam e me desculpem pelo desabafo.

Tenho milhões de posts na cabeça, logo volto com as últimas do Francisco, que não são poucas, e com os posts sobre a Rotina Easy (eu sei que estou em falta com vocês sobre isso!) e algumas ideias para nós mamães de primeira viagem!


Bjinhos de uma mãe à beira de um ataque de nervos!
;o)
Ale


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

A Noite das Mães

Olá pessoas, como estão?
Sumida né? Eu sei. Mas anda tudo tão corrido que falta inspiração para escrever.
Pra não deixar o blog tão abandonado, eu hoje me deparei com um texto que vem bem a calhar para todas nós mães! Seja de primeira ou segunda viagem, o texto vai servir para todas.

E para as gravidinhas de plantão, atenção para o maior conselho que podemos dar a todas as mães: DURMAM! Durmam tudo o que puderem durante a gravidez.
Durmam como se não houvesse amanhã. Se alguém te disser o contrário, não escute. Ouça o que eu digo: DURMAM!!

Eles dormem que é uma beleza...

E agora o texto, que tem a ver com o que eu falei aqui em cima:

A NOITE DAS MÃES

"A garota avisa que está grávida. Iniciam-se os cumprimentos, presentes e conselhos: passe óleo de amêndoa na barriga, não deixe de fazer exercícios, capriche na alimentação. Até aí, tudo compreensível e bem aceito. Até que a garota pergunta o que fazer para combater o sono. Percebe-se, então, algo estranho no ar. As mulheres em volta, todas já estreadas no papel de mães, entreolham-se. Do entusiasmo, as amigas passam para a piedade. Durma querida, durma bastante, durma até o meio-dia, durma até a cuca vir pegar, porque o sono tranquilo é uma dádiva concedida apenas às mulheres que não têm filhos.

Banquete em Kosovo. Missa em Ibiza. Forro em Montevidéo. Há muitas coisas que não combinam. Filho e oito horas de sono é uma delas. Dormir é um verbo pouco conjugado na maternidade, a não ser que a mãe tenha babá e enfermeira se revezando e um astral muito, mas muito zen.

O bebê nasceu. Parabéns. Ainda no hospital, você entenderá aquele olhar de piedade das amigas. Você será acordada de hora em hora para tomar analgésicos e antiinflamatórios. Será acordada para amamentar o nenê. Será acordada pelo choro do nenê. Será acordada pela emoção de ter tido um filho. Sim você está achando tudo ótimo.

Em casa, segue a movimentação noturna. Você irá acordar de noite para seguir amamentando. Trocará fraldas de madrugada e fará bilu-bilu no filhote enquanto a cidade está num silêncio sepulcral. E mesmo que o nenê seja tranquilo feito um buda, ainda assim você irá espiá-lo no berço para ver se ele está respirando. Tudo bem, é só uma fase, você pensa.

Uma fase, diga-se, que irá durar até o juízo final. Um pouco mais crescidinho, o bebê desejará ir para sua cama: ou você deixa, e o seu sono já era, ou você não deixa e ele berra, e seu sono, babaus.

Crianças têm sede, febre, medo do escuro, dor-de-ouvido e agitações que fazem as cobertas caírem: em compensação, não têm a mínima noção de que são três da matina e mamãe tem uma reunião de trabalho à qual ela gostaria de comparecer sem olheiras.

Crianças perguntam o que é aids, sexo oral e cocaína, dançam o tchan e preferem a Tiazinha aos Teletubbies: insônia, lá vou eu.

Crianças, finalmente, crescem. Já não exigem vigilância cerrada: escapam madrugada afora, bem longe dos seus bocejos. Aí, mummy, não há Lexotan ou Dormonid que lhe faça capotar antes de ouvir o tão esperado barulhinho da chave na porta, denunciando que estão todos de volta, sãos e salvos. Só então você poderá dormir feito um anjo nos vinte minutos que faltam para o sol raiar."

Martha Medeiros - As noites das mães - Maio de 1999 - e será atual em qualquer época.

Por isso, meninas que se preparam para a maternidade, escutem a voz da experiência e DURMAM!!

Espero que tenham gostado do texto, quando li pensei logo em compartilhá-lo com as amigas do Conversa pra Mãe Dormir, porque até hoje sono é uma coisa complicada pra mim (e olha que o Francisco está dormindo que é uma beleza!).

Bjinhos
Ale
;o)

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Atire a primeira pedra quem nunca...

- Juntou a chupeta do chão e enfiou direto na boca do filhote pra ver se ele fechava o bico.
- Fingiu que não ouviu o filho pedir pra colocar o mesmo dvd pela milionésima vez.
- Deu uma sacudida no pequeno em pleno supermercado depois da terceira birra por causa de um chocolate.
- Dobrou as roupinhas bem bonitinhas e as guardou sem passar antes.
- Usou o próprio shampoo pois esqueceu de comprar o do pequeno.
- Deixou a mamadeira de molho por pura preguiça de esterilizá-la.
- Fingiu que não viu quando o filhote juntou a bolacha no chão e enfiou novamente na boca.
- Deixou de esterilizar as chupetas.
- Esqueceu a chupeta na panela fervendo até secar a água.
- Deu um banho de gato no filhote com lencinho umedecido por pena de colocá-lo na água no frio de 2ºC. (quem não mora no sul não sabe muito bem o que é inverno e vai achar isso aqui um absurdo hehe)
- Deixou o pequeno se entupir de bala e chocolate.
- Fez vista grossa pra pelo menos uma escovação de dentes, por que o pequeno gritava sem parar e não abria a boca de jeito nenhum.
- Esqueceu de colocar a fralda noturna e se sentiu a pior mãe do planeta quando viu o filhote molhado em pleno inverno.
- Apelou pro miojo por que tava sem tempo de fazer uma refeição saudável.
- Deixou o filhote grudado na frente da tv vendo discovery kids pra poder tomar um banho de 5 minutos em paz.
- Chorou feito criança sentada no chão depois do terceiro mês sem dormir direito.

Atire a primeira pedra quem nunca se sentiu uma mãe de merda em algum momento de sua vida como mãe e jurou pra si mesma que nunca mais faria algo do gênero.

Que será que ela esqueceu dessa vez?
Ser mãe às vezes não é fácil.
Muitas vezes enfrentamos jornada dupla de trabalho, roupa pra lavar e nos cobramos em fazer tudo certo, como mandam os manuais da boa mãe. Nem sempre dá, nem sempre é fácil, nem sempre conseguimos ser essa super mãe que desejamos ser.

Se você, assim como eu, também não conseguiu fazer algumas coisas, não se culpe.
Fazemos o possível e sempre tentamos dar o nosso melhor.
E isso é o que importa, né?

bjinhos
Ale
;o)

PS: Acabei de encontrar esse vídeo e acho que tem tudo a ver com o post de hoje. Enjoy!!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Catálogo Bebê & Infantil do Elo7

Olá pessoas!!!

Tudo certinho?
Hoje o post é um publieditorial com coisas muito bacanas feitas para nossos bebês. 
Vocês devem conhecer o Elo7, um site de produtos feitos por diversos artesãos do Brasil todo. Lá você pode encontrar todo tipo de produto, lembrancinhas e coisas lindas das mais variadas. (Eu também tenho uma loja lá com meus produtos exclusivos para personalização de festas infantis... corre lá!!!)

Pois então que o site está lançando um Catálogo inteirinho com produtos feitos para bebês e crianças!! Não é o  máximo??

E como coisas fofas feitas para bebês e crianças tem tudo a ver com o blog Conversa pra Mãe Dormir, eu estou aqui para apresentar para vocês o Catálogo!
Corre lá pra ver as coisas lindas que o site separou pensando em nós, mamães arteiras!

Uma amostrinha do que podemos encontrar por lá!
O Elo7 é hoje o maior portal de compra e venda de produtos artesanais e agrupa milhares de lojas de artesãos e artistas de todo o país. Um dos segmentos de produtos de maior sucesso no portal são os produtos para bebês, crianças e gestantes. Devido à crescente procura por esses produtos e aos pedidos de muitos clientes em conhecer ainda mais opções desses produtos, o Elo7 está lançando o Catálogo digital Bebê & Infantil. Você pode facilmente folhear as páginas do catálogo e maravilhar-se com os produtos desenvolvidos com muito carinho e dedicação por centenas de pessoas. No catálogo há produtos para compor todo o enxoval do bebê, lembrancinhas de nascimento, batizado e aniversário, portas maternidade, até lindos acessórios e roupas para crianças. Há produtos a pronta entrega e muitos deles são feitos sob encomenda e podem ser totalmente personalizados.

Para conhecer o catálogo, é só clicar aqui
Esperamos sua visita!



*Este post é um publieditorial, escrito pela equipe do Elo7

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Tchau chupeta: como dar adeus à chupeta.

Demorei mas apareci!
Nova vida, nova cidade, novas ideias. Muita coisa boa acontecendo mas também muito trabalho e nada de tempo livre. Esses meses de adaptação na nova vida estão sendo uma loucura sem tamanho.
Chico já está totalmente à vontade na nova escola e também na nova casa. O horário não é lá muito agradável pra quem mora no sul do país... acordamos às 6 para 7:30h ele estar dentro da sala de aula. Mas, como tudo nessa vida, é questão de costume. Já entramos no ritmo e vamos levando. Claro que eu tenho que vesti-lo dormindo, vez ou outra temos um chororô por causa do sono, mas é assim mesmo.

Mas hoje venho aqui anunciar que finalmente Chico deixou de usar chupeta!!!! Ou a famosa "pepepis" como ele gostava de chamá-la
Faz uns dias que aconteceu e eu não tive tempo de compartilhar com vocês.
E essa é a última foto dele com sua amiga "pepepis"!!!!


Tchau Chupeta!!!!

Mas a retirada da chupeta não foi um processo fácil por aqui. Por isso, e como sei na pele que não é simples, resolvi escrever esse post sobre como foi que passamos pela fase e como ele está agora sem sua fiel escudeira. Como sempre o intuito do blog é o de ajudar outras mães que possam estar com as mesmas dificuldades e ajudá-las com a minha experiência.

Como dar adeus à chupeta

Desde o ano passado eu estava disposta a tirar a chupeta do Francisco, já havia feito algumas tentativas, mas estava bem complicado. Esse ano eu tive a ideia de prender a "bichinha" no berço o que impossibilitava que ele andasse com ela o dia todo e quando estava em casa ele tinha que ficar lá dentro do berço para usar. Ele até ía, ficava um tempo e logo desistia por que cansava de ficar lá sem fazer nada chupando chupeta. Deu certo por um tempo, mas por último já estava ficando complicado.

Com a minha separação entramos num outro estágio já que era uma situação nova para o Francisco. Foi separação, ficar longe do pai, mudança de cidade, de casa e de escola. Tudo ao mesmo tempo. Achei que era muita coisa pra cabecinha dele e resolvi relaxar com a chupeta. Já na viagem de vinda ele veio com ela.

E esse foi o meu grande erro, por que eu parei um processo que já estava começado. Com isso ele voltou a usar a chupeta e agora sem trégua; passava o dia todo com ela na boca. Resultado: voltamos ao início e agora a coisa estava ainda mais complicada.

Nesse meio tempo tentei de tudo: entregar para a "fada" em troca de um brinquedo, convencê-lo de que ele era grande e que não precisava mais usar chupeta, e toda a série de enrolações que ele aceitava, pra logo depois pedir a chupeta aos prantos.

Sim, bateu o desespero e eu achei que ele usaria chupeta até a faculdade! Ok, to exagerando. Mas confesso que fiquei meio desanimada e sem esperanças.

Mas não é que um belo dia, estávamos nós numa livraria e ele se encantou por um livro do Toy Story. Ficou horas ali apertando os botões e ouvindo sem parar as palavras em inglês e português. Um livro muito bacana, diga-se de passagem. Foi então que me ocorreu a ideia de fazer a troca, ele me entregaria a chupeta e eu daria o livro pra ele. E não é que ele aceitou prontamente? Arrancou a chupeta da boca e me entregou e saiu todo feliz com o livro embaixo do braço. Pronto!

Acontece que isso só foi possível por que ele estava pronto pra esse momento. Estava já preparado para deixar a chupeta e para finalmente não precisar de artifícios para aguentar suas frustrações.

Agora entendo que é preciso respeitar o momento da criança. Se não for a hora dela não adianta os pais insistirem, pois só vão forçar uma situação complicada. Naquela mesma noite ele dormiu bem tranquilo, sem chupeta e nas noites seguintes também. Claro que ele até pediu algumas vezes mas daí expliquei que as chupetas já haviam ido para o lixo e não tínhamos mais nenhuma em casa. Houve choro sim, houve manha, se jogou no chão umas duas ou três vezes e depois se conformou.

E há pelo menos uma semana ele nem mais tocou no assunto. Acho que finalmente esqueceu e percebeu que está em outra fase.

E posso dizer que largar a chupeta foi a melhor coisa que aconteceu ao Francisco. Ele está maduro, conversador, esperto. É outra criança.

Então mamães, se vocês estão passando por essa fase e já estão pensando em desistir por que isso nunca vai acontecer com seu filho, prestem atenção nas seguintes dicas:

1. Observe o momento da criança:
Se ela não estiver preparada para dar esse passo, não adianta insistir. Vai ser sofrimento para ela e para você. Aguarde mais um pouco, deixe que ela esteja segura e tranquila.

2. Trocas podem funcionar:
Trocar a chupeta por um brinquedo que a criança queira muito pode ser uma boa ideia. Mas ela tem que querer e entregar a chupeta por que quis, senão não vai funcionar e ela vai pedir a chupeta novamente.

3. Estipule horários para a chupeta:
Se você preferir pode tirar a chupeta gradativamente. Para isso converse com a criança e estipule horários em que é permitido usar a chupeta: hora do cochilo, hora de dormir, etc.

4. Tenha firmeza:
Pode parecer cruel, mas se tirou não devolva para a criança. Vai confundir sua cabeça sobre a hora que pode e quando não pode.

Por fim e talvez mais importante:

5. Tenha paciência:
É um momento de transição e você precisa ter paciência para lidar com ele. Não esqueça que é uma fase complicada para a criança. Largar um vício é difícil, até se o vício for uma simples chupeta. Tenha paciência, não brigue com a criança, converse, dê apoio. Faça com que ela se sinta segura pra passar por essa situação.


Espero que a minha experiência ajude outras mamães a passar por essa transição mais tranquilamente.
Fiquem com um vídeo que combina perfeitamente com o post de hoje. Achei poético e delicioso.





"Vai vai navegar!
Valeu! Obrigada!
Mas minha boca não é mais seu lugar.
Agora eu quero cantar, 
sem uma tampa de borracha pra me atrapalhar."
Pequeno Cidadão - Tchau Chupeta

Bjinhos
Ale
;o)



quinta-feira, 23 de junho de 2011

Voltamos!

Olá pessoas...

Mil desculpas pela demora, mas aconteceram muitas coisas nesse último mês e aos poucos vou atualizando vocês sobre o que está acontecendo.
A principal notícia é que mudamos para Florianópolis!!! Isso mesmo, meninas: Eu e Chico estamos vivendo em Floripa!


Então o post de hoje é pra avisar que no momento estou mais ou menos como na foto acima! hehe
Logo que as coisas se ajeitarem volto com as novidades, ok?

bjinhos e um brinde à nova vida!!

Ale
;o)

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Promoção Dia das Mães! ATUALIZADO!!

Olá Pessoas,

Como estão? Tudo certinho?
Por aqui tudo em ordem apesar da correria.
Bom, o blog tá abandonadinho por que eu estou quase louca de tanto compromisso. Mas prometo que em breve atualizo com as novidades do Chico, tá?

Dia das Mães chegando, né? E nada como uma promoção para comemorar o nosso dia!
Eu adooooro uma promoção, mais ainda se essa promoção vai presentear alguma amiga querida que acompanha o blog.

Quando o pessoal da Sanremo entrou em contato comigo eu nem pensei duas vezes.

A Sanremo lançou recentemente uma nova linha de produtos infantis, a Baby. E como o mês de maio é o mês das mães eles tiveram a ideia do concurso "Mamãe de 1ª viagem Sanremo".

Para participar do concurso, a mamãe deverá responder a seguinte pergunta: "Porque os produtos Sanremo Baby são indispensáveis para a mamãe de 1ª viagem?"

As respostas deverão ser postadas no blog do hotsite da Baby no endereço: www.sanremobaby.com.br e vocês devem informar que são seguidoras do blog Conversa pra Mãe Dormir.

Obs: O caminho para participar é o seguinte, vc clica no link acima, vai em Blog. Lá no Blog vc encontra no canto direito Categorias, clica em Novidades e vai abrir o post da promoção. É só clicar em Leia mais e depois comentar normalmente! Se não der certo, por favor me avisem para que eu possa ver com eles o que está acontecendo! Ok?

A promoção começa agora e vai até o fim de maio (31/05), assim temos bastante tempo para responder!
Uma comissão avaliadora da Sanremo irá eleger a melhor resposta e definirá a vencedora e a mesma irá ganhar um kit com produtos da nova linha Baby como esse:


Não é o máximo??
O Kit do Chico já chegou e o que ele mais gostou foi do penico "azul de menino" como ele falou! Mas o kit todo é um  encanto. O prato e os copinhos foram usados assim que tirei da caixa por que ele amou!!! Depois vou fotografar para que vocês possam ver.

O que estão esperando, meninas? Criem suas frases e postem lá no blog da Sanremo e participem do concurso. Não esqueçam de informar que são seguidoras do blog Conversa pra Mãe Dormir.


Bjinhos
Ale
;o)

quinta-feira, 28 de abril de 2011

É tarde, é tarde...

Olá pessoas,

Em falta com o blog né? "Mea culpa" hehehe... mas tá uma loucura. Milhões de posts atrasados, nem consegui postar o Encontro das Blogueiras ainda, pode? Tem o niver do Chico, rotina Easy que estão me cobrando (eu vou ter que baixar de novo o arquivo meninas, se acalmem! Eu sei que o link não funciona... hehehe). No meio disso tudo tem o processo de tirar a chupeta (que tá punk!), tem o desfralde noturno (que está longe de acontecer, outra hora eu conto), tem as "invenções culinárias" (merece um post à parte) para que ele coma melhor, e tem Chico e eu.

E há dias que sinceramente eu não tenho vontade de mais nada, muito menos de escrever.
Então peço a vocês um pouquinho de paciência que estou correndo atrás do "faz-me rir" e logo arranjo tempo para o blog.
Obrigada a todas as amigas que tem vindo aqui, mesmo sem posts novos.

bjinhos
Ale
;-)

domingo, 24 de abril de 2011

Feliz Páscoa!


Feliz Páscoa a todos os amigos do blog!
Esse coelho estava muito serelepe e não parava quieto, mamãe coelha tentou tirar várias fotos e todas tremidas! hehehe
Coisas de coelho né?

bjinhos a todos
Ale
;-)

quarta-feira, 20 de abril de 2011

E finalmente 3 anos de vida...

Olá pessoas...

E num piscar de olhos se passaram 3 anos! Ainda me lembro daquela manhã chuvosa de sábado. Eu estava muito pesada e cansada, a azia matinal foi a pior de todos os tempos. Lá fui eu para o Hospital para mais uma consulta de rotina e acompanhar como estava o processo. Não sabia se seria naquele dia ou não. Nada mostrava que o dia 19 de abril de 2008 seria o mais importante da minha vida. A partir daquele dia eu não mais viveria só por mim. Agora meu coração batia fora do meu peito e atendia pelo nome de Francisco Terra.

Meu Francisco.
E muita coisa mudou na minha vida desde aquele dia, o dia em que me tornei mãe.
Francisco mudou a razão da minha existência e todas as minhas preocupações. Toda mãe sabe muito bem do que estou falando. Tudo agora só tem sentido pra ele e por ele.

Mas agora, depois que ele completou 3 anos de vida, eu queria falar um pouco dessa pessoinha. Por que cada dia que passa vejo o quanto ele é especial. E não é por que eu sou mãe dele, ele é realmente uma pessoa muito especial que tem todas as ferramentas pra ser um homem incrível. Torço e tento conduzi-lo, educá-lo, ensiná-lo para sê-lo, mas só ele poderá conduzir seu destino. Essa é a vida. Infelizmente a gente não cria os filhos pra gente e sim para o mundo. E o que cada um vai ser ou seguir só depende deles. Mas conhecendo-o um pouco acredito que o Francisco será um homem de caráter e muito amigo dos amigos.

O pessoinha é forte, temperamental e muito, muito, muito teimoso. Quando quer alguma coisa, luta pra consegui-la. E dá um jeito de tê-la (mesmo que eu diga não, quando ele encasqueta que quer uma coisa, ele dá um jeito). Nem sempre o jeito que ele dá deixa-nos felizes. Mas admiro a coragem que ele tem de nos enfrentar e lutar pelo que quer. Isso vai ser muito importante na vida dele, essa perseverança e determinação de conseguir o que quer!


Ao mesmo tempo é uma criança doce que raramente faz uma birra. E se eu explico os motivos que ele não pode ter determinada coisa ele entende e devolve. Já fez isso em supermercados, farmácias e outros lugares do tipo. O que deixa a maioria das pessoas muito surpresas.

Francisco também é um comunicador nato. Desinibido, engraçado, espirituoso. Sempre dá um jeito de arrancar um sorriso das pessoas. Diferente de mim que sempre fui uma criança muito tímida, ele se vira muito bem em sociedade. É interessante observá-lo ser e estar por que eu nunca soube como agir e ele fica totalmente à vontade em 5 minutos. Tem a fase de se grudar nas minhas pernas que dura o tempo dele estudar o ambiente e as pessoas. Após esse período ele se joga de cabeça! Admiro demais essa qualidade dele.

Bom, quem vem sempre aqui já sabe um pouco sobre o Francisco e sobre nós. Então acho que não preciso falar muito hoje né?

Filho, não tenho palavras pra expressar o quanto eu te amo.
E essa é minha homenagem ao pequeno grande Francisco Terra, com muito amor...

Apreciem sem moderação... (vejam grande tá?)





Espero que tenham gostado.
Amanhã posto as fotos das festinhas... sim, teve em casa e na escola! hehehe

bjinhos
Ale
;o)

terça-feira, 19 de abril de 2011

Hoje é o dia do Chico!!!!! Viva!!!!!

Pois é, é hoje!
E claro que eu não consegui escrever o post de aniversário dele! hehehe
Tá quase pronto, mas eu queria colocar as fotos da festinha na escola, então prometo que amanhã eu publico, tá?
Prometo.

3 anos de pura gostosura!!!!


Filho amado, a mamãe te ama de montão!
Acho que você curtiu muito sua festa hoje e amanhã eu vou publicar as fotos!
Você é minha razão de viver!!!
Minha vida não tem mais sentido sem você!

Te amo!

Feliz Aniversário, meu Francisco!

bjinhos
Mamãe.
;o)

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Como nascem os amigos...

Bom dia pessoas...
Muito tempo sem atualizar né?
Estou em falta com o blog e com as amigas que comentaram.
Logo venho com calma atualizar decentemente.

Então que amanhã meu filhote completa 3 anos de vida (farei um post especial amanhã).
Mas hoje encontrei esse vídeo e acho que tem tudo a ver com ele e com a chegada de um bebê.

Espero que gostem...

Apreciem sem moderação:

quarta-feira, 30 de março de 2011

Filho adora contradizer mãe!

Olá meninas,

Tudo certinho?
Parece que filho adora contradizer a gente né não? Se você diz que ele não gosta de uma coisa na frente dos outros ele passa a adorar, só pra deixar tua cara no chão.
Então que ontem escrevi sobre a inapetência do Chico e o estresse que é a hora da refeição aqui em casa e aí que ontem mesmo ele começou a comer suuuuper bem. Pode?
Almoçou um pratão e ainda comeu sobremesa em casa, depois na escola lanchou no meio da tarde e jantou (repetindo o prato). Dá pra entender?

Quero agradecer a todas as amigas que passaram por aqui e deixaram suas dicas valiosas e também as que não comentaram mas que vieram nos visitar. Foram mais de 290 visitas!!!

Meninas, eu vou continuar de olho por que não estou dando muito crédito para esse apetite novo! haha. E vou aproveitar as dicas de vocês!
Já marquei pra conversar com a nutricionista e vou anotar todas as dicas que ela me passar para repassar aqui no blog, pois sei que tem muita mãe com o mesmo problema que o meu.

Aguardem!
bjinhos
Ale
;o)

terça-feira, 29 de março de 2011

O que fazer com a falta de apetite das crianças?

O fantasma da falta de apetite começa a rondar por aqui novamente.
Em Junho de 2009, escrevi um post sobre a falta de apetite do Francisco. Mas depois disso ele até que passou a comer um pouquinho melhor.

Porém agora parece que a inapetência veio braba e eu desesperada e fatalista como boa mãe que sou estou prá lá de preocupada com o assunto. Meti a cara no Google à procura de alguma ajuda e solução e o que encontro é basicamente o que já sei: que criança só come quando e quanto quer... blá blá blá... que é normal nessa fase... blá blá blá... que o meu papel de mãe zelosa é oferecer alimentos de qualidade... blá blá blá... e toda essa ladainha que toda mãe de filho que NÃO come já conhece de cor.

Só que mesmo sabendo disso tudo, o fato é que não consigo ficar tranquila e despreocupada enquanto o meu filhote nem sequer prova a comida.

Passa uma infinidade de coisas pela cabeça, até de que realmente ele não gosta do meu tempero e que eu sou uma péssima mãe e cozinheira. Mas quando até a comida do restaurante não agrada aos olhos ou ao paladar do baixinho você percebe que o problema é outro. Eu só não sei qual é.

Alguns textos que encontrei na web dizem que geralmente as mães acabam cobrando muito a criança a respeito da alimentação e que acabamos por valorizar demais esse momento, o que gera uma certa ansiedade na criança.

Outros textos afirmam que não devemos ceder aos caprichos dos pequenos, caindo na tentação de liberar salgadinhos, bolachas e frituras, já que são a única coisa que a criança aceita. Isso parece óbvio, mas pense numa criança que não coloca nada na boca e pede uma bolacha, depois de horas tentando dissuadi-la e convence-la a provar um pedacinho de brócolis, você cede e libera a bolacha (pelo menos ela vai comer algo, pensa você). Eu não costumo ceder a esses caprichos, mas confesso que de vez em quando prefiro oferecer algo que eu sei que ele vai comer (batata-frita por exemplo) do que deixá-lo sem comer nada.


Em outro lugar encontrei um texto dizendo que a criança pequena quando recusa o alimento não está apenas recusando a comida e sim a tirania, a imposição, a limitação. Daí pensei: meus deus, será que estou impondo tanto a comida que ele está ficando com raiva de comer? Será então que a culpa é minha? Oh my God... então o que vou fazer?

Por isso que nem sempre é bom correr pro google meu povo. hehe

Até aí tudo bem. Dicas e mais dicas, faça assim, faça assado. Mas o fato é que eu continuo na mesma: Francisco não come!

Conversei com as professoras e elas estão tentando levá-lo para jantar com os amigos, deu certo nos primeiros dias mas agora voltamos à estaca zero pois ele não aceita o jantar e ainda chora pra ir à mesa com os amigos.

O pediatra Tio Mário diz que é normal e que ele está bem. Fizemos uma batelada de exames (sangue, urina, fezes) pra acalmar a doida da mãe saber se ele tava com algo e pra descartar possíveis problemas de saúde para a falta de apetite, mas está tudo bem.

Dizem que devemos quebrar a tensão e a angústia que perturbam a criança. Nada de drama, de forçá-la, castigá-la, chantageá-la ou de suborná-la. Nada de substituir alimentos por outros e também de reforçar o leite com achocolatados ou leite em pó, por que como defesa do organismo ao excesso de proteína, a criança não vai suportar comer carne e isso aumentará os problemas. Além disso, o excesso de vitaminas pode intoxicar e tirar o apetite. (Oh my God!!!)

Comer deve ser um prazer então a hora da refeição deve ser tranquila, sem dramas ou comédias, tensão, bate-boca ou cara feia. Brincar com a comida é normal para a criança então devemos dar liberdade para ela explorar os alimentos, mesmo que façam sujeira e bagunça.


É fácil agir assim na teoria, eu sei. Mas na prática a gente se desespera, tenta convence-la a comer, faz trocas, suborna e até ameaça com castigo. Eu já fiz isso na hora do desespero, confesso.

O que fazer então? Essa é a pergunta que não quer calar.
Vou conversar com a nutricionista da escola pra ver se consigo mais dicas que me ajudem e que também possam ajudar outras mães que estejam passando pelo mesmo problema.

Espero em breve ter alguma solução, mas por enquanto... continuamos na mesma.

Só uma bolachinha, manhê!

Se você está passando pela mesma situação que eu e tem alguma outra dica, compartilhe conosco.
bjinhos,
Ale
;o)

segunda-feira, 28 de março de 2011

Rotina EASY - 6 semanas a 4 meses

Olá pessoas...

Tudo certinho com vocês?
O blog tá abandonado eu sei, mas foi por pura falta de tempo. Eu e Chico fizemos uma pequena viagem para Florianópolis por conta de um trabalho de fotografia que eu tinha pra fazer e passamos uma semaninha por lá. Foi maravilhoso para nós, curtimos, descansamos bastante, trabalhamos e aproveitamos a companhia dos amigos. Foi ótimo.

Bom, estou em falta com a série da "Rotina EASY" e então resolvi escrever a continuação hoje. Muita gente pediu e vamos à continuação da série sobre a Rotina EASY (Todo bebê deve ter uma rotina sim Uma Rotina para o Bebê) .

Mais uma vez quero lembrar que todas as informações contidas nesse post podem ser encontradas no livro "A Encantadora de Bebês resolve todos os seus problemas". No livro você pode encontrar essas e outras informações muito importantes e mais detalhadas. Esse post é só um pequeno resumo do que está no livro. Por isso indico que comprem o livro para mais informações.
Vamos à continuação?

O Despertar Inesperado

Em comparação com as seis primeiras semanas em casa - o clássico período pós-parto - tudo parece estar nos eixos durante os próximos 2 meses e meio ou mais. A mãe está agora mais confiante e, esperamos, um pouco menos estressada (Pausa para uma nota pessoal minha: conversa fiada - a gente está é muito mais cansada e insone agora). As mamadas são estáveis a cada 3 horas durante o dia, e esse intervalo aumenta quando nos aproximamos da marca dos 4 meses, que será a cada 4 horas. O bebê tem também períodos mais longos de atividade e provavelmente dorme por mais tempo à noite. É possível que o choro tenha atingido um pico perto de seis semanas, e agora começa a declinar lentamente nos próximos 2 meses e meio.

Nota do Blog: Bom, isso é o que pode estar acontecendo na teoria, porque na prática sabemos que nem sempre é assim. Comigo e Francisco aconteceu exatamente o contrário, pois foi a partir daí que ele começou com um choro ininterrupto e foi exatamente aí que eu comecei a rotina EASY com ele. Um pouco tarde para os padrões da Encantadora, mas foi a minha salvação. Então, mamães que me leem, não se preocupem se vocês não estruturaram a rotina até aqui e acham que nunca mais vão conseguir! Se eu consegui, vocês também conseguem. O importante é ser persistente!

Vamos às reclamações comuns nessa fase e suas causas prováveis:

1. Não consigo fazer o bebê dormir por mais de 3 ou 4 horas durante a noite.
É possível que ele não esteja se alimentando o suficiente durante o dia, e também pode ser necessário "encher o tanque"* antes de dormir.

2. O bebê dormia por 5 ou 6 horas durante a noite, mas agora acorda com mais frequência e sempre em horários diferentes.
O bebês está provavelmente passando por um impulso (ou pico) de crescimento e precisa mamar mais durante o dia.

3. Não consigo fazer o bebê tirar uma soneca de mais de 30 ou 45 minutos.
Você provavelmente está interpretando mal os sinais dele, e não o coloca para dormir quando ele mostra os primeiros sinais de fadiga, ou entra no quarto imediatamente ao primeiro sinal do bebê, o que não lhe dá a chance de voltar a dormir sozinho.

4. O bebê acorda na mesma hora da noite, mas mama só um pouquinho quando tento alimentá-lo.
O despertar habitual quase nunca tem a ver com fome. É provável que seu bebê esteja acordando por hábito.


Como podem ver, o problema que geralmente aparece em bebês dessa idade é um desvio repentino e inexplicável (pelo menos para os pais) da parte S da rotina, o sono. O sono diurno e noturno pode ser inconstante e experimental - sobretudo se o bebê não estiver em uma rotina estruturada. Os pais pensam que nunca mais conseguirão dormir direito. Esse é um dos períodos mais desesperadores que passamos aqui em casa, eu estava feito um zumbi, insone e com olheiras profundas. Francisco dormia muito pouco para não dizer - NADA. E eu, dorminhoca que sempre fui, estava estressada, chorona, cansada e irritada por simplesmente não dormir. Mas calma que isso também é só uma fase. Acreditem em mim!

Parte dos despertares noturnos se deve naturalmente à fome - o bebê acorda quando o estômago está vazio -, mas nem sempre esse é o caso. Dependendo de como os pais reagem aos problemas do despertar noturno e da soneca, suas ações bem-intencionadas podem desencadear a paternidade acidental.

Digamos que certa noite o bebê tenha acordado, e você o acalmou oferecendo o seio ou a mamadeira. Funcionou perfeitamente, e agora você pensa: humm, está é uma boa estratégia. O bebê também adorou. Porém, acidentalmente, você está ensinando que ele precisa sugar para voltar a dormir. Acredite, quando o bebê tiver 6 meses, for muito mais pesado e ainda quiser mamar várias vezes à noite, você se arrependerá desta solução rápida. 


* Encher o tanque: uma forma de garantir que o bebê mame o suficiente é aumentar a ingestão durante o dia, antes das 23:00.Com a estratégia "Enchendo o tanque", você enche mais o estômago do bebê, e isso permite que ele durma períodos mais longos a noite.

Então é isso, espero que tenham gostado.
Logo volto com mais novidades!
bjinhos
Ale
;o)

terça-feira, 8 de março de 2011

Dia da Mulher Mãe!

Olá pessoas...

Hoje é o Dia da Mulher mas não sou muito fã dessas datas comemorativas. Acho que todas são um apelo ao consumo desenfreado. É verdade que a mulher já conquistou muito espaço na sociedade mas eu acredito que ainda falta muito para que a mulher seja valorizada totalmente e respeitada como merece.

Nesse espaço estou sempre falando como mãe, então por isso minha homenagem hoje é para as Mulheres Mães


Um papel lhe diz que sua vida irá mudar radicalmente. Deu positivo.
E então você não sabe se chora ou se ri com a novidade. A partir de agora você não é uma e sim duas pessoas, às vezes mais. A partir de agora você não manda mais na sua vida, esse pequeno ser que cresce dentro de você tomará conta de todos os seus pensamentos e atitudes.

A nós, mulheres, foi dado o presente de gerar a vida. Não sei se os homens teriam força (e por que não dizer saco) pra gerar um filho. À nós mulheres foi reservado esse desafio. Até a mulher que escolhe não ser mãe, o é em algum momento de sua vida, seja com um sobrinho, amigo, namorado, cachorrinho. É da natureza feminina o dom da maternidade e de cuidar do outro.

Do momento em nos descobrimos mães em diante toda a nossa vida mudará radicalmente. Dizem que ser mãe é ter um coração batendo fora do peito e eu acredito que é isso mesmo. Mulheres Mães passam a viver a vida do filhote. Dedicação total e absoluta.

Abrimos mão de nossos programas favoritos, de nossos gostos e músicas. Passamos a ser grandes conhecedoras da programação do Discovery Kids, das novidades da Pixar e da Disney, de todas as músicas novas que o Palavra Cantada está lançando, da última novidade em mamadeiras, leite em pó e fraldas. Me diga que homem se entrega assim à paternidade? Eu respondo: muito poucos.

Por isso, nesse Dia da Mulher, proponho que você dedique um pouco do seu tempo e da sua atenção a todas as Mulheres Mães que conhece. Seja a sua mãe, sua tia, sua vó ou simplesmente uma amiga querida. Vamos brindar a todas as Mulheres Mães que conhecemos!

Um Feliz Dia da Mulher a todas as mulheres que por aqui passarem.

bjinhos
Ale
;o)

segunda-feira, 7 de março de 2011

Dicas da Vivi: A importância da voz da mãe

Olá pessoas,

Como estão passando nesses dias de feriado de carnaval?
Por aqui tudo na preguiça. Chico teve uma febrinha esses dias e daí a gente se enfurnou em casa pra cuidar do pequeno. Acho que foi uma virose ou esse tempo doido de Curitiba que não colabora. Hoje voltamos com mais um post da nossa queridíssima Vivi, com mais dicas preciosas sobre música e musicalização.

bjinhos
Ale

DICAS DA VIVI: A importância da voz da mãe

Oi meninas! Nessa época tão musical que é o Carnaval, resolvi escrever sobre uma coisa muito estudada e muitíssimo interessante: o interesse dos bebês pela voz da mãe. O manhês (ou mamanhês) é encontrado nas mais diversas comunidades culturais. É produzido pelo adulto que se ocupa do bebê (que pode ser a mãe ou qualquer outro adulto). Essa forma melodiosa de falarmos com o bebê é natural e espontânea. Ela é caracterizada pelo prolongamento das vogais, que a torna mais lenta e sonora, pelo aumento da frequência, que a faz mais aguda e por glissandos característicos que a tornam mais musical.

O manhês é muito mais que um ato isolado de comunicação vocal-acústica entre mãe e bebê: trata-se de um complexo conjunto de informações, em que estão presentes o olhar, o toque, o cheiro e os movimentos do adulto que interage com a criança.

Há mais de duas décadas, os psicólogos americanos J. Casper e W. Fifer realizaram uma das mais surpreendentes experiências com recém-nascidos. Eles pediram que dez mulheres que tinham acabado de dar à luz lessem um texto durante 25 minutos e gravaram sua voz. Os pesquisadores colocaram fones de ouvido nos bebês dessas mulheres, cinco meninos e cinco meninas, e lhes deram uma chupeta ligada a um aparelho que permitia acionar o gravador. Com apenas alguns dias de vida, os bebês ouviam então a voz da própria mãe e depois a de uma mãe desconhecida, ou o inverso. Suas reações de sucção foram observadas enquanto escutavam a gravação que podiam acionar. Resultado: de maneira geral, os recém-nascidos modificavam sua sucção, aumentando ou diminuindo o ritmo, de maneira a ouvir mais frequentemente a voz da mãe. Essa experiência mostrou não somente que o pequeno reconhecia e preferia a voz materna, como também era capaz de aprender como produzir o som que preferia.

Experiências semelhantes realizadas com a voz do pai não revelaram o mesmo comportamento. Crianças de até 4 meses não reconheceram a voz paterna. Os psicólogos acreditam que isso ocorre provavelmente porque a experiência pré-natal influencia significativamente a preferência, já que o feto está mais exposto à voz da mãe que à do pai. [Mas isso não significa que a criança não tenha memória musical, hein?]

Outro estudo registrou a frequência cardíaca dos fetos enquanto ouviam uma gravação de um poema lido pela própria mãe e por uma desconhecida. Os pesquisadores então notaram que a frequência aumentava com a voz da mãe e diminuía com a voz desconhecida. OU seja: antes mesmo de nascer, a criança já reconhece – e prefere – a voz da mãe. Então faz todo sentido que as grávidas conversem com os filhos enquanto ainda estão na barriga. 

Depois dessa pesquisa, tenho que RE-afirmar: a Musicalização é extremamente importante para seu bebê. Pode e deve começar ainda na vida intrauterina. Cante para seu filhote, converse com ele, estreite os laços que começam ainda no ventre. 

E agora, me contem a experiência: já conversaram com seus bebês? Qual a reação deles?

Um beijo grande,
Vivi

Referências:
Revista Mente & Cérebro – A mente do bebê. Ed. n° 4. Vol. 3 e 4.
Revista Mente e Cérebro - Ed. nº 217. Ed. Fevereiro/2011



Autora: Vivian Dell’ Agnolo Barbosa é mestranda em Educação Musical e Cognição na Universidade Federal do Paraná e professora de Musicalização Infantil há 10 anos. Desde agosto/2010, é sócia-proprietária da Alecrim Dourado Formação Musical, que já está com as matrículas abertas para 2011.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Amigos são amigos, não importa de onde venham.

Olá, Pessoas...

Tudo certinho?
A semana aqui está uma loucura e como o país vai parar para o Carnaval eu estou correndo contra o tempo pra resolver algumas pendências. Vai ser um feriado de muuuuito trabalho. Como não gosto de Carnaval (sou a única brasileira?) vou aproveitar o feriado pra editar uns trabalhos, terminar umas capas e curtir o pimpolho. O bom é que quando a gente faz o que gosta, isso não é trabalho e sim prazer não é mesmo?


Hoje faço uma pausa nos posts como mãe e nas bagunças do Chico para escrever sobre amizade e o que eu penso dela como pessoa. O post teve inspiração num texto que eu li do @Cardoso ontem a noite. Pra quem não está antenado com a vida de twitteiros, o @Cardoso é um dos twitteiros mais mal humorados e grossos que eu conheço, adora falar contra tudo e todos, dar block em quem perturba ele (tomara que eu não seja a próxima bloqueada). Só pra vocês terem ideia ele usa como "avatar" a foto do Dr. House, deu pra sacar o nível né? Eu me divirto com ele (e me estresso de vez em quando - normal). O que chama a atenção no texto que ele escreveu foi justamente o contrário do que ele expressa normalmente no twitter. O texto trata sobre as amizades virtuais nos dias atuais e ele foi de uma doçura que não é sua característica, conhecido que é pela aspereza e língua afiada. Genial.

Tudo o que ele falou me fez pensar em como é minha vida atualmente e a minha relação com a internet. Meu primeiro blog, o Achados e Perdidos Escritos nasceu em 06/03/06 com um post sobre como começar um blog e o que escrever. Em 5 anos de blogueira muita coisa mudou na minha cabeça mas relendo o texto agora vejo que o desejo maior de começar um blog é o de "botar pra fora" tudo o que está guardado e aprisionado. Eu sempre gostei de escrever e o blog veio como um caderno de anotações "virtuais" onde despejo minhas ideias e pensamentos.

Depois que o Chico nasceu veio com ele a necessidade de expressar o que eu sentia como mãe e o que eu estava passando como mãe de primeira viagem. Nasceu então esse blog, o Conversa pra Mãe Dormir. Agora a vida de blogueira estava consolidada e enraizada dentro de mim. Este blog me apresentou um mundo novo, cheio de possibilidades, e com esse mundo novo vieram também os amigos virtuais: mães, pais, tios, amigos com gostos em comum, com situações parecidas. Concordo com o Cardoso quando ele fala que os amigos virtuais não podem ser números que a gente coleciona simplesmente. Por que por trás desses números existem pessoas de verdade, com gostos e ideias, com desejos e com intenções.

Do mundo virtual para o real eu trouxe belas parcerias e amizades, posso citar a cantora Xanda Lemos do Diário de Bordo, que por coincidência é tia do meu enteado, mas nos conhecemos primeiro via blog e ali vimos o quanto temos coisas, livros, gostos em comum; a fotógrafa Emi e a fotógrafa Evary Leal, pessoas que conheci também pela internet (um pouco pela paixão em comum pela fotografia) e que transferi a amizade para o mundo real. Também a Isa do Um dia de cada vez, que eu conheci na Musicalização, depois na internet estreitamos os laços de amizade e ela já fez inclusive posts aqui no blog e também a Vivi que foi professora do Chico e virou parceira aqui do blog com suas preciosas Dicas de Música para os pequenos.

Outras amizades continuam somente no mundo virtual por enquanto, algumas mais pela distância do que pela vontade de se conhecer como é o caso da Fernanda do Mamma Mini, da Sam do A Vida Como a Vida Quer, do Max do Pequeno Inventário de Impropriedades que também foi meu colega de faculdade pela Unisul Virtual, olha só a internet estreitando mais ainda os laços.

E tem os amigos que eu fiz através do Twitter, as famosas "@s" nos fazem íntimos de um monte de pessoas que você antes nem imaginaria conhecer. Eu acredito que o Twitter é um agregador de pessoas pois você se identifica com alguém e com o que ela(e) diz, começa a "segui-la", troca o primeiro reply ou dá o primeiro RT e logo já está conversando e trocando figurinhas. Do mundo twitteiro posso citar: @AnaLuiCal, @carolcavichiolo, @jack_kil, @karimscharf, @bookess, @luramos_r, @tattilemos, @marianacronista, @redemulheremae, @ronisevilela, etc, etc, etc.
Ter amigos é muito bom!


Por isso posso afirmar que os amigos que eu fiz através do mundo virtual não são menos amigos do que os que eu fiz na vida real, é só um pouco diferente. Amigos são amigos, não importa de onde vieram, como os conhecemos, se estamos sempre juntos ou separados por quilômetros. Se o contato é pelo telefone, email, msn, gtalk, facebook, twitter ou blog. Se nos encontramos pra jantar, pra um café, pra fotografar ou se só damos um oi via DM ou reply. Amigos são amigos por que te ouvem, te ajudam quando você precisa, te dão uma palavra de incentivo quando você está pra baixo, te apoiam quando você cai ou tropeça na vida e riem contigo quando você fala ou faz alguma besteira. Os amigos virtuais também fazem isso, muitas vezes até mais do que os amigos feitos na vida real.

Eu recebi um selinho de uma amiga virtual que logo se tornará real, devido ao Encontro de Mamães Blogueiras que ocorrerá aqui em Curitiba. A Vanessa do Coisas Minhas nos presenteou com esse selinho:


Vamos às regras do selinho:

Dizer quem o ofereceu: 

A Vanessa do Coisas Minhas

O que diz o teu ♥
Que é uma delícia fazer amigos, seja no mundo real ou no mundo virtual!

Oferecer este selo a todos os blogs que moram no teu coração:

Aqui que mora o problema. Eu amo todos os blogs que estão listados ali do lado, então o selinho vai para todos! Pode ser? 


Eu acredito na amizade. Acredito que só quem tem amigos pode ter uma vida feliz.
E agradeço a todos os amigos que fiz através desse blog. Obrigada por fazerem parte da minha vida, da vida do Francisco e das histórias que eu compartilho aqui com vocês. Obrigada por todos os comentários que recebi até hoje e pelas visitas anônimas que não deixaram nenhum comentário (ainda está em tempo de comentar, hein?). Obrigada pelos 116 117 seguidores (uau!!!) e pelos mais de 17900 pageviews. 

Obrigada de coração!


Já dizia a música: "Amigo é coisa pra se guardar, do lado esquerdo de peito, dentro do coração!"
É por isso que os blogs que eu amo estão listados aqui do ladinho esquerdo!


bjinhos
Ale
;o)

quinta-feira, 3 de março de 2011

Dicas para curtir o Carnaval sem riscos para a criançada!!!

Olá Mamães

Essa é uma época onde muito se houve falar em acidentes, principalmente com os pequenos. Recebi esse informativo da Ong Criança Segura e repasso para vocês por acreditar que prevenir é muito melhor do que remediar, ainda mais se tratando dos nossos preciosos filhotes.
Visitem o site da Ong, tem muitas outras dicas importantíssimas para nós mamães (e papais).
bjinhos
Ale 

*Esse é um post de divulgação, mas não é patrocinado! Divulgo por que acho válido.

ONG CRIANÇA SEGURA dá dicas para um Carnaval livre de acidentes com a criançada
Medidas preventivas evitam acidentes de trânsito e afogamentos, riscos comuns nesta época do ano 


Foto: Alessandra Pilar

Carnaval alegre é aquele acompanhado de muita segurança para evitar acidentes com as crianças. Com as viagens e festas de rua, elas ficam mais suscetíveis aos acidentes de trânsito e afogamentos. A Ong CRIANÇA SEGURA, dedicada à promoção da prevenção de acidentes com crianças e adolescentes até 14 anos, faz um alerta para que os possíveis riscos não prejudiquem a folia.
Os acidentes de trânsito, afogamentos, sufocações, queimaduras, quedas, intoxicações, acidentes com armas de fogo e outros representam a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil e resultaram no óbito de 5.106 crianças em 2008 (dados mais atuais do Ministério da Saúde). Só os acidentes de trânsito foram responsáveis pela morte de 1.971 crianças no mesmo ano, o que representa 38% do total.
O aumento do movimento nas estradas durante o feriado eleva o risco de acidentes no trânsito. Portanto na estrada ou na cidade, os responsáveis devem estar atentos ao uso adequado do bebê conforto, cadeirinha e assento de elevação, equipamentos que se tornaram obrigatórios desde setembro de 2010. Com a cadeira de segurança correta, que considera o peso e altura da criança, o risco de morte é reduzido em 71% em caso de acidente de acordo com estudos americanos. A obrigatoriedade não é limitada às estradas e abrange todo o território nacional.
Em algumas regiões, o Carnaval de rua é a opção predileta dos foliões. Mas os adultos devem redobrar a atenção para evitar que a criança se dirija sozinha para ruas abertas ao tráfego de automóveis. Entre os acidentes de trânsito, o atropelamento é a principal causa de morte de crianças até 14 anos – representaram 42% do total de 1.971. A supervisão também é fundamental se o feriado incluir banho de mar ou de piscina. Os afogamentos representam a segunda maior causa de morte, entre os acidentes, de crianças até 14 anos. Além da supervisão durante a brincadeira na água, as crianças devem utilizar colete salva-vidas como item de segurança.
  
A CRIANÇA SEGURA também dá dicas para a escolha das fantasias

Foto: Alessandra Pilar

- Se a criança tiver menos de 3 anos, os responsáveis devem evitar adereços soltos como cintos, cordões, faixas ou partes que se soltem facilmente e possam causar sufocação. O uso de armas de brinquedo pode estimular a violência e a curiosidade infantil.
- As lantejoulas que podem se desprender facilmente das roupas e os confetes, jogados em grande quantidade, podem também provocar sufocações. A brincadeira aparentemente inocente de arremessar confetes deve ser acompanhada por adultos.
- Pintura nos rostos: o ideal é utilizar maquiagens próprias para o público infantil, além de produtos antialérgicos e atóxicos para evitar irritações de pele e intoxicações.
   
Mais dicas no site www.criancasegura.org.br.

Sobre a CRIANÇA SEGURA
A Criança Segura é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público dedicada à promoção da prevenção de acidentes com crianças entre 0 e 14 anos. A organização atua no Brasil desde 2001 e faz parte da rede internacional Safe Kids Worldwide, fundada em 1987, nos Estados Unidos, pelo cirurgião pediatra Martin Eichelberger.
Para cumprir sua missão, desenvolve ações de Políticas Públicas – incentivo à discussão sobre o tema e participação nos diálogos referentes às mudanças e adaptações de instrumentos legais que visem a segurança, saúde e bem-estar da criança; Comunicação - informação e alerta sobre a causa para conscientização da sociedade por meio de campanhas e divulgação de assuntos de interesse público e Mobilização – promoção da sensibilização, conscientização e engajamento de muitas e diferentes pessoas visando à multiplicação da informação, a transformação do meio e a adoção de comportamentos seguros.
A CRIANÇA SEGURA conta com a contribuição de parceiros institucionais, como Johnson & Johnson e Johnson & Johnson Produtos Profissionais Ltda e parceiros de programas, como Band-Aid, FEDEX e Johnson & Johnson Industrial Ltda.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Novidades para a mamãe antenada!!!

Oi Mamães,


Toda mãe, blogueira ou não, adora uma novidade né?
Eu não sou diferente!

Pois então que eu recebi um email de apresentação do novo site da Santher e achei a ideia  fantástica. Pena que não tinha um desses no meu começo como mãe.

- Quantas vezes você se desesperou com o filhote no colo vendo que só restavam mais duas fraldas no pacote e você não tinha como comprar mais?

- Quantas vezes você se perguntou se estava usando o tamanho certo de fraldas para seu pequeno, já que ele acordou todo molhado e sua culpa quase acabou contigo?

Pois é, eu também passei por tudo isso.

Acontece que na minha época de mãe de primeira viagem (já to me achando a mãe experiente e velha hahaha) não tinha outra opção a não ser correr para a farmácia mais próxima e comprar um estoque de fralda para que isso não acontecesse.

E aqui que entra o grande pulo do gato do site da Santher!

E o que tem de tão bacana no site?

É possível fazer assinatura de fraldas, receber os produtos na comodidade da sua casa e ganhar até 10% de desconto na compra dos super kits de fraldas e toalhas umedecidas.

Quer mais? Então lá vai:
Com o passar dos meses você pode alterar o tamanho da fralda da sua assinatura. Além disso dá pra saber o tamanho exato da fralda do seu filho usando o “Fraldômetro On Store”.

E se você ainda é gestante dá pra criar listas e organizar o chá de bebê com a ajuda do site.

E pra mamãe que ficou sabendo do site através do Blog Conversa pra Mãe Dormir, tem um super desconto: 20% na primeira compra usando o código ONSBL02



É ou não é uma novidade para a mamãe antenada?

Bjinhos
Ale
;o)














Related Posts with Thumbnails