terça-feira, 29 de março de 2011

O que fazer com a falta de apetite das crianças?

O fantasma da falta de apetite começa a rondar por aqui novamente.
Em Junho de 2009, escrevi um post sobre a falta de apetite do Francisco. Mas depois disso ele até que passou a comer um pouquinho melhor.

Porém agora parece que a inapetência veio braba e eu desesperada e fatalista como boa mãe que sou estou prá lá de preocupada com o assunto. Meti a cara no Google à procura de alguma ajuda e solução e o que encontro é basicamente o que já sei: que criança só come quando e quanto quer... blá blá blá... que é normal nessa fase... blá blá blá... que o meu papel de mãe zelosa é oferecer alimentos de qualidade... blá blá blá... e toda essa ladainha que toda mãe de filho que NÃO come já conhece de cor.

Só que mesmo sabendo disso tudo, o fato é que não consigo ficar tranquila e despreocupada enquanto o meu filhote nem sequer prova a comida.

Passa uma infinidade de coisas pela cabeça, até de que realmente ele não gosta do meu tempero e que eu sou uma péssima mãe e cozinheira. Mas quando até a comida do restaurante não agrada aos olhos ou ao paladar do baixinho você percebe que o problema é outro. Eu só não sei qual é.

Alguns textos que encontrei na web dizem que geralmente as mães acabam cobrando muito a criança a respeito da alimentação e que acabamos por valorizar demais esse momento, o que gera uma certa ansiedade na criança.

Outros textos afirmam que não devemos ceder aos caprichos dos pequenos, caindo na tentação de liberar salgadinhos, bolachas e frituras, já que são a única coisa que a criança aceita. Isso parece óbvio, mas pense numa criança que não coloca nada na boca e pede uma bolacha, depois de horas tentando dissuadi-la e convence-la a provar um pedacinho de brócolis, você cede e libera a bolacha (pelo menos ela vai comer algo, pensa você). Eu não costumo ceder a esses caprichos, mas confesso que de vez em quando prefiro oferecer algo que eu sei que ele vai comer (batata-frita por exemplo) do que deixá-lo sem comer nada.


Em outro lugar encontrei um texto dizendo que a criança pequena quando recusa o alimento não está apenas recusando a comida e sim a tirania, a imposição, a limitação. Daí pensei: meus deus, será que estou impondo tanto a comida que ele está ficando com raiva de comer? Será então que a culpa é minha? Oh my God... então o que vou fazer?

Por isso que nem sempre é bom correr pro google meu povo. hehe

Até aí tudo bem. Dicas e mais dicas, faça assim, faça assado. Mas o fato é que eu continuo na mesma: Francisco não come!

Conversei com as professoras e elas estão tentando levá-lo para jantar com os amigos, deu certo nos primeiros dias mas agora voltamos à estaca zero pois ele não aceita o jantar e ainda chora pra ir à mesa com os amigos.

O pediatra Tio Mário diz que é normal e que ele está bem. Fizemos uma batelada de exames (sangue, urina, fezes) pra acalmar a doida da mãe saber se ele tava com algo e pra descartar possíveis problemas de saúde para a falta de apetite, mas está tudo bem.

Dizem que devemos quebrar a tensão e a angústia que perturbam a criança. Nada de drama, de forçá-la, castigá-la, chantageá-la ou de suborná-la. Nada de substituir alimentos por outros e também de reforçar o leite com achocolatados ou leite em pó, por que como defesa do organismo ao excesso de proteína, a criança não vai suportar comer carne e isso aumentará os problemas. Além disso, o excesso de vitaminas pode intoxicar e tirar o apetite. (Oh my God!!!)

Comer deve ser um prazer então a hora da refeição deve ser tranquila, sem dramas ou comédias, tensão, bate-boca ou cara feia. Brincar com a comida é normal para a criança então devemos dar liberdade para ela explorar os alimentos, mesmo que façam sujeira e bagunça.


É fácil agir assim na teoria, eu sei. Mas na prática a gente se desespera, tenta convence-la a comer, faz trocas, suborna e até ameaça com castigo. Eu já fiz isso na hora do desespero, confesso.

O que fazer então? Essa é a pergunta que não quer calar.
Vou conversar com a nutricionista da escola pra ver se consigo mais dicas que me ajudem e que também possam ajudar outras mães que estejam passando pelo mesmo problema.

Espero em breve ter alguma solução, mas por enquanto... continuamos na mesma.

Só uma bolachinha, manhê!

Se você está passando pela mesma situação que eu e tem alguma outra dica, compartilhe conosco.
bjinhos,
Ale
;o)

7 comentários:

Vanessa disse...

Ouvi do pediatra do meu filho que a partir do segundo ano a necessidade de nutrientes diminui por que o crescimento não está mais a loucura que era no primeiro ano. Depois disso passei a me basear numa rotina rigida, com horários para alimentação. Se não comer naquele horário , meu filho espera o próximo. Mas não fico neurótica com isso.

Beijo e boa sorte!

Anônimo disse...

Oie,

compre conjunto de pratinho e garfinho do personagem preferido dele...
decore os pratos do seu filho com alimentos saudáveis.
faça lanches saudáveis decorados. Eles adoram.
dá uma olhada aki:
http://www.google.com.br/images?um=1&hl=pt-br&biw=1238&bih=685&tbs=isch%3A1&sa=1&q=pratos+crian%C3%A7as&btnG=Pesquisar&aq=f&aqi=&aql=&oq=

Ana Paula - Journal de Béatrice disse...

Ohohoh!!
Este post caiu redondissimo aqui pra mim. Até parece que estamos falando da mesma pessoa. Francisco e Béatrice são iguaizinhos.
Bem, ja levei esse assunto para a pediatra e ela falou que é normal e que são apenas 4 refeições por dia (cafe, almoço, lanche e janta), e não é para beliscar. Faço isso e realmente deu uma melhorada no apetite. Faço ela esperar a proxima refeição. Se tomou so um leite de manhã, ofereço um pão, uma fruta em seguida. Deixo disponivel em potinhos em cima da mesa dela, assim ela come na hora que ela sentir necessidade. Entretanto, "recolho os alimentos" até 3horas antes da proxima refeição. Se eu deixar a vontade, ela "beliscara" muito proximo do horario de uma refeição importante e dai não comera direito.
Tem dado certo e como ela não é um bebê que bate pratão (alias nunca foi), passei a me acostumar com o apetite de passarinho dela. Sei bem o que vc esta sentindo, putz, da uma frustração danada a gene preparar as comidinhas e eles nem tchum. Tb espero que seja realmente uma fase!
Beijosss : )

Beta, a mãe disse...

Oi Ale, sempre passo aqui e não comento, mas agora não resisti. A Bia não come lá muito bem não, super seletiva e inspeciona a comida com lupa. Eu ainda não cheguei nessa fase com ela, mas algo me diz que vai acontecer, não quero, mas se tem uma coisa que aprendi com crianças é que um dia a coisa passa. O problema é o durante, eu sei, mas acho que depende de você desencanar um pouco da coisa, eu adotei o lema: "quer comer, come, não quer não come." Tem dado uma funcionada essa indiferença, quero só ver até quando. Espero que ele volte a comer e de fome ninguém morre. Beijos e boa sorte por aí.

Telma Maciel disse...

Ei, Alessandra! Vi o post no facebook e, como o título é interessante pra toda mãe, vim ler... rs
Realmente me parece exceção qndo uma criança não passa por essa fase. Eu vivi brigando com Sofia pq ela não comia!!! Nada! Minha mãe falava q eu não devia obrigar, q eu e meus irmãos não comíamos nada e estamos vivos e saudáveis hj! rs
Bom... ano passado tinha uma pessoa q cuidava da Sofia e, sinceramente? Entendo o fato da pequena não querer comer, rs... A carne parecia um pedaço de pau! kkkk
Agora aproveito q eu mesma cozinho pra ela e faço as misturas q acho ideais: cebola no arroz, sempre. De vez em qndo milho, couve flor, brócolis... ela reclama, mas com a cebola, por exemplo, já acostumou.
No feijão é beterraba, né? Dessa vez ela nem sentiu o gosto! OBA!!! rs E aprendi a fazer molho de tomate misturando um caldo de cenoura... ou de legumes... fica gostoso, eles nem sabem o q estão comendo, mas comem! ÓTIMO!
Um beijo e tomara q essa fase passe logo!

Daniella disse...

Oi Ale! POr eqto o baby come bem e é pequeno...meu comentário aqui é por que eu fui uma criança qie comia pouco...e é assim até hj (exceto na gravidez). Pior coisa é coação...concordo com a Vanessa,a cho que tem q ter uma certa rotina e se nao quer comer aquilo naquela hora...come na proxima. No intervalo oferece fruta e sucos p ele, pao integral, frutinha seca...com certeza a nutricionista vai te ajudar. Vc tem que encontrar formar de nutri-lo sem que ele tenha que comer tanto : )
Boa sorte. Nao esquenta muito a cabeça nao...realmente falar é mais fácil que fazer mas a gte tah aki p te apoiar. bj!

Cynthia Santos disse...

Ai, Ale, passo o mesmo perrengue com o Arthur desde setembro, e pior, não conseguia nem um encaixe com a pedi dele.Ele voltou a comer razoavelmente bem de 15 dias pra ca, mas já está ensaiando parar de novo...a pedi acha que ele teve mononucleose em set/10, que é muito resistente e causa essa bagunça no apetite e sono...apesar do sofrimento da mãe aqui, ele continua crescendo muito bem e dentro do peso ideal...mas eu entendo seu sofrimento, ainda hj quase chorei qdo ofereci o almoço, ele pediu leite com chocolate (eu dou o que ele pedir nessas crises!), e nem o leite tomou!sonecou quase 2h seguidas e só tomou o leite depois que acordou. E a janta?Comeu tudo! Como sei que não é um plano diabólico dos filhotes pra nos enlouquecer, vou te dar um abraço bem apertado e incluir o Francisco e vc nas minhas orações, ele, para que volte a comer direito, e você, pra ter um pouco de Paz no coração... de resto, é tentar ter paciência e calma...
Beijo grande, querida!

Related Posts with Thumbnails