quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Como fazer o RG das crianças?

Olá,

Hoje o post é para ajudar as mamães sobre como fazer os documentos de seus filhotes. A minha maior dúvida era quais documentos eram necessários levar, se precisava ou não levar fotos, se era demorado. Pois bem que tenho duas visões sobre o processo: crianças maiores e bebês. Pensando nisso resolvi escrever o post para compartilhar como foi minha experiência nos dois casos e ajudar outras mães que vão precisar fazer a documentação de seus filhos.

Para crianças maiores:

Fiz o RG do Francisco e do Noah ano passado quando eles estavam com 5 e 3 anos. Acho importante a criança ter um documento com foto e, principalmente, com as impressões digitais. Até então carregava comigo na carteira uma cópia da Certidão de Nascimento autenticada e tinha outra cópia na mochila que vai com o Francisco para a casa do pai. Acho extremamente importante a criança estar sempre com o documento, mesmo que seja só a Certidão de Nascimento.

O processo para fazer os documentos aqui em Curitiba foi bem simples, pois é tudo digitalizado e informatizado. É bom você se informar se na sua cidade também é assim antes de ir até o posto de atendimento e deixar de levar alguma documentação. Fiz o agendamento dos dois pela internet para o mesmo dia (se você for de Curitiba clique aqui para agendar) e no dia e hora marcados fui com os dois até o posto e peguei uma senha. A partir daí demorou uns 30 minutos para finalizar tudo: Entre ser chamado pelo atendente para a conferência da documentação e digitalização da Certidão de Nascimento, tirar a foto e as impressões digitais dos pequenos. A parte mais complicada é a foto, pois eles não queriam parar quietos na cadeira e quando paravam faziam aquele sorriso forçado. Fazer o quê, é parte do processo! Depois de algumas tentativas, conseguimos a foto!

Confira a documentação exigida em Curitiba, em posto de atendimento totalmente informatizado (confira aqui quais são eles):

- Certidão de Nascimento original ou cópia autenticada,
- Documento de identificação do responsável (pai, mãe ou responsável legal da criança). Atenção para o fato de que o responsável deve estar presente. 

Nesses postos informatizados eles fazem a foto digital na hora. No caso daqueles postos em que ainda não há esse serviço, você precisará levar duas fotos 3x4 iguais, recentes e coloridas, específica para carteira de identidade. A primeira via do RG é gratuita. A carteira fica pronta em 7 dias e você recebe um protocolo para buscá-la no posto de atendimento. Para retirar o documento é necessário que o responsável pela criança esteja presente, no nosso caso o Rafa foi pegar a do Noah e eu peguei a do Chico. 
Atenção para a assinatura do Francisco!! Vontade de esmagar de tão fofo!
Para bebês:

Fiz o RG da Ana Clara essa semana e o processo foi mais simples do que eu imaginava. Não precisei agendar, pois os bebês tem prioridade de atendimento. Com a Certidão de Nascimento original na mão e o meu documento de identidade, peguei uma senha prioritária e aguardei nos chamarem. A atendente (super simpática, por sinal) digitalizou os documentos e fomos fazer a foto. Achei que essa seria a parte mais complicada, afinal passei trabalho com o Francisco e com o Noah, mas peguei a bebê no colo, coloquei-a sentada no meu joelho e por sorte ela olhou diretamente para a moça. Foto feita na primeira tentativa e ficou linda!!! 

Depois foi a vez das impressões digitais que demoraram um pouco mais porque a pequena não curtiu a ideia da moça pegar na mão dela. O fato dos dedinhos serem tão pequenos também dificulta um pouco, mas com alguma paciência e umas 3 tentativas em alguns dedinhos, enfim conseguimos. Vi relatos de algumas mães sobre a dificuldade de fazer o RG dos bebês por conta das impressões digitais*, pois nessa forma digitalizada nem sempre conseguem pegar as impressões dos bebês. Com a Ana não tive esse problema. 

Protocolo na mão em menos de 30 minutos e em 7 dias já temos a Carteira de Identidade da pequena! 

* Li por aí que não conseguiram fazer as impressões nos bebês porque as mesmas só se formam completas aos 2 anos. Achei estranho e fui pesquisar e segundo o Dr. Wilson Carrara, médico especializado em ginecologia e medicina fetal, isso não é verdade. As impressões digitais, marca exclusiva em cada ser humano (inclusive em gêmeos idênticos), são formadas no feto ainda na barriga da mãe. As digitais podem ser comparadas aos traços do rosto ou a qualquer outra herança física e são determinadas exclusivamente pela formação genética do bebê. Segundo o Dr. Carrara, independentemente das atividades que os indivíduos possam exercer durante toda a sua vida, por mais calejadas que fiquem as mãos, suas impressões digitais jamais serão alteradas!


Dica para tirar foto 3x4 de bebês: deite-o no berço em cima de um lençol todo branco, tire a foto e mande imprimir no formato 3x4. Se você possui um smartphone, tem um app que se chama "Foto 3x4" que dizem ser excelente e facilita o processo! Não testei, então não posso afirmar se dá certo ou não! Mas não custa tentar!

Espero que o post tenha ajudado a tirar algumas dúvidas sobre documentação e como fazer. Qualquer dúvida, comentem e perguntem que eu respondo.

bjinhos,
Ale
;o)

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Pequenos leitores!

Olá, 

Acho extremamente importante incentivar a leitura desde muito cedo. Francisco já brincava com livros desde bebezinho e a Ana Clara também já tem seus livrinhos. E ela ama livros! Quer deixá-la entretida um bom tempo é largar um livro na sua mão, ela adora virar as páginas, ver as figuras e agora deu para fazer sonzinhos enquanto faz isso. Uma graça! Dá uma olha na pequena com seu livrinho: 

video

Francisco está em outra fase: aprendeu a ler e descobriu o universo dos livros agora como leitor!
Tudo o que ele encontra (seja placa, livro, legenda da tv, etc) quer ler e acha o máximo quando consegue. Já está lendo super bem, quase fluente. Para mim é emocionante vê-lo descobrindo esse novo universo e se encantando com a leitura. Redescobriu seus livrinhos pois agora ele consegue lê-los sozinho. 

Semana passada chegaram os livros da coleção Itau Criança e ele pirou! Lemos juntos os dois livros antes de dormir. Essa iniciativa é muito bacana pois incentiva a leitura. E os livros da coleção são sempre fantásticos. 

Se não conhece o projeto sugiro que faça uma visita ao site do Projeto Itau Criança e peça já a sua coleção de livros. É grátis!

Aqui em casa eu estou sempre com um livro por perto e os pequenos sempre tiveram contato com livros. Acho importante incentivar a leitura desde muito cedo e a melhor forma é o exemplo. Pais leitores criam filhos leitores!

Incentive seu filhote a ler. 

bjinhos,
Ale

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Dica de Livros

Como toda mãe, às vezes precisamos de ajuda para contornar algumas situações com os filhotes. Quando acontece comigo, corro para a livraria em busca de novidades sobre os mais diversos assuntos da criação dos filhos. Pensando nisso, resolvi escrever esse post com algumas indicações de livros que me ajudaram nos momentos de desespero. Espero que ajude outras mães. Gostaria de salientar que não estou recebendo nada das editoras para falar bem dos livros que recomendei aqui. Esses títulos realmente me ajudaram nos momentos de desespero.


Descobri um livro ótimo de uma brasileira que mora nos EUA sobre o sono dos bebês. O nome é "12 horas de sono com 12 semanas de vida" de Suzy Giordano e Lisa Abidin. O livro é curto (eu li no mesmo dia) e tem dicas maravilhosas para "treinarmos" os bebês a dormirem a noite toda. Testei com a Ana Clara quando ela estava exatamente com 12 semanas e deu resultado no primeiro dia! Ela ficou calma, com as mamadas regulares nos horários certos e só mamava uma vez durante a madrugada.

Quando o Francisco nasceu procurei soluções diversas para o problema "sono", pois ele não dormia de jeito nenhum. Apliquei a técnica da Encantadora de Bebês (conforme a série de posts sobre a Rotina E.A.S.Y.: Todo bebê deve ter uma rotina sim!, Uma rotina para o bebê, Rotina EASY - 6 semanas a 4 meses, Rotina EASY - 4 a 6 meses) e deu super certo. Algumas pessoas na época me falaram sobre o livro Nana nenê, mas achei a técnica meio agressiva (sou totalmente contra deixar o bebê chorando sem parar).

Outro livro fantástico que estou lendo agora é o "Crianças francesas não fazem manha". O livro foi escrito por uma americana que mora em Paris sobre a diferença de educar na América e na Europa. Achei fantástica a abordagem e a maneira como as francesas educam seus filhotes. Crianças comendo de tudo e se comportando em restaurantes parece sonho para nós, mas se elas conseguem é porque é possível. Como estou nessa fase com o Francisco, estou achando fantástico o livro. Super recomendo para mães e pais com problemas com filhos tiranos e birrentos. Já aproveitei inclusive para comprar o e-book com a sequência "Crianças francesas dia a dia" que dá um panorama geral sobre o dia a dia com as crianças.

Bjinhos,
Ale


quinta-feira, 30 de outubro de 2014

O que levar na mala da maternidade?

Olá,

Tudo certo?
O post de hoje é para ajudar as mamães que têm dúvidas sobre o que levar para a maternidade. Essa parte de arrumar a mala é sempre complicada. Nunca sabemos se estamos colocando coisa demais ou se falta levar algo. É muito comum levarmos coisas que não vamos precisar e esquecermos do que é essencial. Eu errei bastante da primeira vez, da última já estava mais atenta e fiz uma mala coerente.

Vários sites e mesmo lojas de artigos infantis disponibilizam listas sobre o que levar para a maternidade, mas a maioria delas está recheada de coisas inúteis nesses primeiros dias. Por isso resolvi escrever esse post com uma listinha básica do que eu acho importante e da maneira como eu organizei a mala da Ana Clara e a minha. Acho que pode ser de grande ajuda para as mães de primeira viagem que, como eu da primeira vez, não tem ideia do que é essencial e do que não é.

Vale lembrar que você deve adaptar a sua mala ao clima da sua cidade e também à época em que seu bebê vai nascer (não tem sentido você encher a mala de roupinha de lã no calor de 40º do Rio de Janeiro, por exemplo). A regra é ter bom senso!


Mala do Bebê:
Roupas:
- 02 casaquinhos de lã
- 02 conjuntinhos de malha ou canelado (blusa e calça - aqueles famosos pagãozinhos)
- 04 conjuntos body e calça (coloquei 2 manga longa e 2 manga curta)
- 04 tip-tops de malha ou plush (levei 02 de cada pois Curitiba sempre esfria, mesmo no verão)
- Touca de malha ou de lã - ou uma de cada dependendo da região e do clima
- 01 luva (os bebês nascem com as unhas muito afiadas e mesmo com calor é bom colocar luvinhas para que não se machuquem)
- 04 Meias
- 01 muda completa pra saída da maternidade (tip-top, body e calça, meia, casaquinho e manta)

Obs.: Eu separei as roupinhas em jogos completos e embalei com um plástico desses transparentes comprados em lojas de embalagem, dessa forma quem for vestir o bebê não precisa ficar procurando na mala, basta pegar um jogo e ali já terá tudo para aquela troca de roupa (lembre-se que os papais podem precisar trocar o bebê e nem sempre fazem boas combinações). Em cada embalagem coloquei: 1 tip-top, 1 body ou 1 camiseta pagão, 1 calça e 1 meia. Deixo num plástico separado as toucas e luvinhas e também os casaquinhos e mantas, pois podemos usar os mesmos em toda troca. 

Higiene do Bebê:
- Sabonete líquido neutro (recomendo o uso daquele para todo o corpo, já que é mais fácil do que levar separado sabonete, shampoo e condicionador. Não leve sabonete em barra pois é muito mais complicado de lavar o bebê, ainda mais para quem não está acostumada como as mamães de primeira viagem.)
- colônia para bebês (importante: NÃO passe colônia diretamente na pele do bebê pois eles são muito sensíveis e podem ter alguma alergia. Eu coloco um pouquinho somente na roupinha)
- 24 Fraldas descartáveis (Tam RN e P)
- Tesourinha para unha
- Escovinha de cabelo
- lacinhos e chapéu se você for adepta de acessórios
- 04 paninhos de boca ou fraldinha de tecido.
- 01 toalha de banho com toalha fralda
- 01 cobertor ou mantinha
- 02 chupetas. (Muitas mamães vão me criticar sobre esse item, mas como sofri horrores da primeira vez que não quis dar chupeta pro Francisco logo que ele nasceu - dá uma olhada neste post sobre o que aconteceu - dessa vez as chupetas foram indispensáveis. A Ana Clara pegou a chupeta logo que nasceu e dormiu tranquila!!

Mala da Mamãe:

- 02 camisolas ou pijamas com abertura na frente para amamentar
- 01 penhoar ou roupão
- 01 chinelo de pano e um chinelo de borracha para o banho
- 02 sutiãs de amamentação
- 01 caixa de protetores de seio
- 01 pacote de absorvente noturno
- calcinhas suficientes para 3 a 4 dias de troca (duas trocas diárias)
- 01 toalha de banho e 01 toalha de rosto
- Necessaire com artigos de higiene pessoal (sabonete, desodorante, colônia suave para não irritar o bebê, shampoo e condicionador, escova e pasta dental e escova de cabelo).
- Um kit básico de maquiagem: base, pó compacto, lápis de olho, blush e batom (não é pq vc está no hospital que você tem que se descuidar, afinal vão querer tirar fotos suas com o bebê e você tem que estar linda!)
- 01 casaquinho (geralmente quarto de hospital é muito frio)
- Uma muda de roupa para a saída da maternidade (evite calça e lembre-se que é importante ser fácil para você amamentar).

Sobre a Cinta elástica eu tenho minhas reservas. Vou confessar que comprei da outra vez e usei uma única vez. Mas aquele treco me apertou e irritou tanto que nunca mais usei. Mas se você tem persistência, invista numa cinta para voltar logo à forma antiga. Dessa vez como fiz cesárea a cinta foi de grande ajuda pra não ficar com a sensação de que os pontos íam estourar. Acho que vai de cada caso, como aconteceu comigo que não usei da primeira vez e usei bastante dessa vez.

Não esqueça de separar seus documentos e deixar à mão. Em trabalho de parto você não vai conseguir pensar nessas coisas. Separe também todos os exames feitos durante a gravidez e faça uma lista de telefones de pessoas para avisar sobre o nascimento do bebê.
Lembre-se também da máquina fotográfica, carregador de celular, notebook e as lembrancinhas de maternidade. Deixe tudo bem fácil de pegar, de preferência já na mala pra não esquecer nada na hora H.

Com tudo pronto, curta muito o fim de gravidez pois dá muita saudade do barrigón depois que eles nascem!

Espero que as dicas possam ajudar às mamães de primeira viagem.
bjinhos,
Ale
;o)


quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Rotina EASY - 4 a 6 meses: "4x4" e o Início da Paternidade Acidental

Entre os posts mais visualizados no blog estão os da Rotina EASY (Todo bebê deve ter uma rotina sim!, Uma Rotina para o bebê e Rotina EASY - 6 semanas a 4 meses).
Assim como eu tive problemas para colocar o Francisco numa rotina estruturada, acredito que essa seja a maior reclamação das mamães por aí. Estou em falta com os posts de continuação e por isso resolvi retomar a série e continuar com as dicas que a Encantadora de Bebês, Tracy Hogg, nos dá em seu livro. Para um melhor aproveitamento desse post, sugiro que você leia primeiro os anteriores, assim entenderá um pouco o que é a Rotina EASY, como ela está estruturada e o passo a passo a seguir. Tudo o que está descrito nesse post você encontra no livro "A Encantadora de Bebês Resolve Todos os Seus Problemas" de Tracy Hogg e Melinda Blau, a minha iniciativa é compartilhar algo que deu certo comigo e por isso repasso.

Então vamos lá? 

4 a 6 meses - "4x4" e o Início da Paternidade Acidental

A consciência do bebê é mais forte, agora que ele interage mais com o que está acontecendo à sua volta. Nesta fase, o bebê pode levantar a cabeça facilmente e começa a pegar as coisas. Consegue sentar-se ereto com um pouco de ajuda e, por isso, a sua perspectiva também está mudando. Ele é mais consciente dos padrões e da rotina. Já percebe de onde vêm os sons, e sabe descobrir causa e efeito; por isso, prefere brinquedos que se movem e reagem ao toque. A memória também é melhor nessa fase.

Devido a esses passos do desenvolvimento, a rotina diária do bebê também precisa mudar - vale aqui a nova regra "4x4" que significa E.A.S.Y de 4 meses/4 horas. Os bebês, em sua maioria, estão prontos nessa fase para trocar a rotina de 3 horas pela de 4 horas. O bebê consegue brincar por períodos cada vez mais longos durante o dia e dorme mais à noite. Antes acordava pela manhã e queria mamar, mas agora acorda por hábito (o próprio relógio interno) e não necessariamente devido à fome. Se deixados sozinhos eles acordam, falam sozinhos e brincam um pouco e  voltam a dormir - desde que nós, pais desesperados, não entremos correndo no quarto para acudi-los - geralmente é assim que começa a paternidade acidental.

O bebê nessa fase também se alimenta com mais eficiência e a mamada agora é mais curta. Com a troca de fraldas, o "E" (alimentação ou eat) consome ao todo uns 45 minutos. Porém o "A" (atividade) é diferente nessa fase: ele fica acordado mais tempo.

A tabela abaixo mostra como o E.A.S.Y. muda quando o bebê chega aos 4 meses. Você pode cortar uma das mamadas, porque ele mama mais a cada vez; e transformar três sonecas em apenas duas (mantendo a soneca rápida da tarde em ambos os casos), estendendo assim o tempo que ele passa acordado. A tabela representa o ideal, mas nem sempre o bebê seguirá certinho os horários. A rotina pode ser afetada pelo peso e pelas diferenças de temperamento, pois alguns bebês costumam dormir melhor e outros demoram menos pra mamar.  O importante é manter o padrão alimentação/atividade/sono, só que agora em intervalos de 4 horas.

E.A.S.Y de 3 horas
E.A.S.Y de 4 horas


E: 7h – Acordar e Mamar
E: 7h – Acordar e Mamar
A: 7:30 ou 7:45 – Atividade (dependendo da duração da mamada)
A: 7:30 - Atividade
S: 8:30 – soneca de 1h30
S: 9h – soneca de 1h30 a 2h
Y: Tempo para você – faça o que quiser
Y: Tempo para você – faça o que quiser
E: 10h -
E: 11h
A: 10:30 ou 10:45
A: 11:30
S: 11:30 – soneca de 1h30
S: 13h – soneca de 1h30 a 2horas
Y: Tempo para você – faça o que quiser
Y: Tempo para você – faça o que quiser
E: 13h
E: 15h
A: 13:30 ou 13:45
A: 15h30
S: 14:30 – soneca de 1h30
S: 17h às 18h – soneca rápida
Y: Tempo para você – faça o que quiser
Y: Tempo para você – faça o que quiser
E: 16h - Mamar
E: 19h – refeição robusta às 19h e às 21h, apenas se estiver passando por um impulso de crescimento
S: 17h às 18h – soneca rápida (aprox. 40 min) para preparar o bebê para a próxima mamada e o banho
A: Banho
E: 19h – refeição robusta às 19h e às 21h se estiver passando por um impulso do crescimento
S: 19h30 – hora de dormir
A: Banho
Y: Tempo para você – faça o que quiser
S: 19:30 – hora de dormir
E: 23h – Refeição dos sonhos (até 7 ou 8 meses ou quando os alimentos sólidos estiverem firmemente estabelecidos).
Y: Tempo para você – faça o que quiser

E: 22h ou 23h – refeição dos sonhos



  

Os pais enfrentam diversos problemas, e não conseguem pensar claramente durante o caos. O motivo é que eles não são capazes de adaptar o E.A.S.Y. ao avanço no desenvolvimento do filho. Eles não percebem que precisam alimentá-lo a cada 4 horas (e não mais 3, como antes), que o bebê passa mais tempo acordado, ou que as sonecas são tão importantes quanto o sono noturno. É importante, nesse caso, que os pais observem o desenvolvimento do seu filho e adaptem a rotina à nova estrutura do bebê. Dificilmente terão problemas se observarem e estiverem atentos a essas mudanças de desenvolvimento.

PATERNIDADE ACIDENTAL: o que é e como eliminá-la?

A Paternidade Acidental é uma solução mais conveniente - um reparo rápido - para um problema de sono. Acontece quando você não tem paciência de implementar uma solução a longo prazo.

Os bebês não vêm com manual. Isso é um fato! E, em função disto, muitas vezes nos desesperados a procura de uma solução que resolva o problema do choro constante, do despertar noturno e do sono. Nessa busca por uma solução muitas vezes recorremos a artifícios que resolvem imediatamente o problema, mas criam um péssimo hábito no bebê. Você toma uma atitude ou inicia uma prática por puro desespero sem pensar muito, porque não tem a capacidade ou o conhecimento de fazer de outra forma. Cria-se um padrão!

Dependência de Acessórios.
O acessório é um objeto ou ação que está fora do controle do bebê e é usado pelos pais para fazê-lo dormir. Responda sinceramente a essas perguntas: Você segura o bebê no colo, fica andando com ele ou nina e balança o bebê para que ele durma? Oferece o seio ou a mamadeira para acalmá-lo? Deixa-o dormir no peito, no balanço ou leva-o para passear no carro até que adormeça? Leva-o para sua cama quando ele está chateado e não consegue dormir?
Se respondeu SIM a qualquer uma desses perguntas você já está usando um acessório e garanto que o feitiço vai virar contra o feiticeiro mais cedo ou mais tarde.

A dependência dos acessórios começa como uma medida desesperada. A criança está super cansada e chorando às 3 da manhã, então o papai anda com ela pela casa. Como num passe de mágica, ela silencia e logo adormece. Mas esse padrão se repete todas as noites e logo o papai não vai mais aguentar fazer o mesmo ritual. Só que o bebê não sabe o que está acontecendo e como todas as noites ele anda com o papai e dorme, logo o bebê pensa: "Ah, é assim que eu faço para dormir!". E todas as noites ele vai querer dormir da maneira que foi ensinado.

Antes que seja tarde demais, repense as práticas que adotou e mude. Os maus hábitos desaparecem rapidamente nos primeiros meses.

Se o bebê acordar e chorar durante a noite, resista ao impulso de entrar correndo no quarto para confortá-lo. Todos os bebês fazem ruídos quando saem do sono profundo, mas não quer dizer que ele acordou. Conheça os sons do seu bebê. Muitas vezes ele conversa, se mexe e logo em seguida volta a dormir sozinho. Desde que você não entre correndo no quarto para despertá-lo.

Se ele tem um padrão e acorda todos as noites no mesmo horário, experimente entrar no quarto dele uma hora antes e acordá-lo. É isso mesmo que você leu! Acorde o bebê antes do padrão dele, balance-o suavemente, esfregue sua barriguinha e coloque a chupeta na sua boca - isso o colocará em um estado semiconsciente. Então, saia. Ele voltará a dormir sozinho e você tem agora o controle da situação. Se você acordá-lo 1 hora antes, eliminará o padrão.

Conheça seu bebê e elimine a paternidade acidental para ter o controle da situação.

No próximo post sobre a Rotina EASY vamos ver como colocar os bebês com mais de 6 meses numa rotina estruturada. Aguarde!

bjinhos
Ale

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Bebês pequenos fazem manha?



Olá!


Faz algum tempo que escrevi esse post e acabei não publicando. Foi uma fase com a Ana Clara um pouco complicada: ela chorava todos os dias praticamente no mesmo horário. Como era mais ou menos o mesmo período em que os bebês tem cólicas (3 ou 4 meses), eu logo achei que pudesse ser isso. Mas o que me deixou bastante intrigada era o fato de que ela só chorava nesse horário (por volta de 19 - 20h). Durante o restante do tempo era um bebê tranquilo. Isso me fez desconfiar de que não se tratava de cólica e sim de manha pura!

Mas será que bebês tão pequenos podem fazer manha?
A resposta a essa pergunta é: SIM! E é mais comum do que se pensa!

Primeiro foi preciso analisar bem a situação para determinar se a pequena estava mesmo de manha ou se tinha algum problema de saúde. Para isso, marquei imediatamente consulta com o Dr. Mário para que ele a examinasse e me desse uma luz. O Dr. foi enfático em afirmar que ela não tinha cólicas e o fato do choro acontecer somente em determinado horários, todos os dias, mostrava que não poderia ser simplesmente dor, já que a cólica aconteceria em outros horários também. Ele me disse que provavelmente o que estava acontecendo era que nesse horário alguma mudança ocorria em casa, ela não tinha toda a atenção da mãe, já que era mais ou menos o horário em que o pai e os irmãos chegavam em casa. E essa foi a forma dela conseguir chamar a atenção para ela.

Sabendo disso, programei algumas mudanças para que essa situação mudasse. Primeira mudança: hora da pequena dormir em seu berço! Até esse momento ela estava dormindo no carrinho ao lado da minha cama pois tenho certo receio de deixar o bebê sozinho no quartinho tão novinha! E como as mamadas eram de duas em duas horas, achei bem mais fácil trazê-la para nosso quarto. Mas desde esse momento passei a deixá-la dormir em seu quarto. Lembra que falei estar mais tranquila da segunda vez? Pois bem, aqui a segunda experiência foi também melhor que da primeira onde o Francisco só foi pro berço dele com quase 6 meses! Ana Clara tinha, então, 3 meses. Foi essencial essa pequena mudança para ela. A segurança de estar no canto dela ajudou com os choros.

Outra mudança foi o horário do banho. Antes eu começava a preparar o banho lá pelas 19- 20h, exatamente no mesmo momento em que começava também o chororô da moça. Era um momento turbulento da casa, já que o pai e os irmãos chegavam bem nesse horário e entre dar banho nos meninos, ajeitar um jantar para eles e dar banho na bebê era um estresse tremendo para ela. Adiantei o banho dela para o final da tarde, assim tinha tempo de dar total atenção para a pequena. Notei também que, assim como o irmão Francisco, a Ana Clara não relaxa com o banho como a maioria dos bebês. O banho tem efeito contrário nela, ela fica ligada depois do banho e dificilmente consegue dormir logo que termina o banho. São necessárias umas duas horas para que ela finalmente relaxe e então consiga dormir. Sendo assim, dar o banho tarde é a pior coisa que poderia fazer pois ela ao invés de relaxar, queria mais atenção e brincadeiras. Alterar o horário do banho ajudou nesse sentido, pois ela ficava alerta mais cedo e quando os irmãos finalmente chegavam ela então já estava cansada e conseguia relaxar e dormir.

O importante é sempre observar o seu filhote e tirar suas próprias conclusões. Não tem como seguir um manual pois cada criança é diferente. Aprendi com o Francisco que não adiantava dar banho pra ele dormir, porque ele ficava ainda mais alerta. Muito menos dar banho para baixar a febre que geralmente subia muito depois do banho. A Ana Clara é bem parecida com o irmão nessa questão de ficar alerta com o banho. A maioria das pessoas não acreditava quando eu dizia que o Francisco era diferente. Observe seu filho, veja como ele reage às diversas situações. Use sua intuição e não dê muita bola ao que dizem mães, avós, tias e vizinhas. As pessoas têm mania de se meter e dar pitaco na criação dos filhos dos outros dizendo que devem fazer assim ou assado. Quer um conselho? Escute o que eles tem a dizer e filtre só o que te servir. Não tem como seguir o manual do filho da vizinha já que seu filho é diferente. O filho dela pode dormir a noite toda e o seu acordar a cada duas horas. Cada criança é única e trate-a como única. Seu filho vai te ensinar a melhor forma de agir com ele, confie!

E, acredite, ele pode fazer sim uma manha vez ou outra pra te chamar a atenção!

Bjinhos,
Ale

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Era um, depois dois e agora são três!

A turma cresceu: Ana Clara, Noah, Francisco

Olá, pessoas...

Tudo certim? Blog totalmente abandonado por pura falta de tempo!
De uma hora para outra a família cresceu e onde eram dois (eu e Francisco), agora são cinco (eu, Francisco, Rafa, Noah e Ana Clara)... ufa! Nunca imaginei que teria uma "big family", mas a cada dia amo mais essa grande bagunça que se tornou minha vida!

Criança em casa é tudo de bom. Três crianças em casa é formação de quadrilha! haha... brincadeiras à parte, o que eu sinto é um amor gigante que cresce a cada dia e uma vontade de ser a melhor mãe do mundo para essas três crianças. A grande dificuldade que encontramos é respeitar as diferenças e criá-los da melhor maneira possível. São três personalidades completamente distintas, com gostos e manias diferentes. E, também, necessidades diferentes já que as idades são diversas: Francisco com 6 anos, Noah com 4 e a Ana Clara com 6 meses!

Pensando nisso, resolvi que o blog precisa se atualizar e contar um pouco do meu dia-a-dia com esses pequenos. Os desafios e as dificuldades de se criar três crianças nos dias de hoje onde temos a facilidade do acesso à tecnologia e informação, mas também os perigos dessas facilidades. Descobertas de uma mãe de "3ª viagem" para ajudar quem está chegando agora no universo materno!

Espero que com as minhas descoberta, meus erros e acertos eu consiga ajudar você que está desesperada por um conselho. O blog está voltando a todo vapor. Estava com saudades de dividir meu tempo e minhas expectativas aqui nesse espaço. E como a vida segue novos rumos, esse espaço que era de um filho único, agora será de três.

Bem vindos de volta ao meu universo materno!
Fique à vontade, a casa é sua também!

bjinhos,

Ale
"mãe de três"


sexta-feira, 16 de maio de 2014

As terríveis cólicas!

Quando me falavam que ser mãe de dois (eventualmente três quando Noah está conosco) não seria fácil, achei que estavam exagerando. Pois bem, Ana Clara nasceu tranquila, dormia bem, mamava melhor ainda, tudo correndo bem até que ... começaram as cólicas!

Bem vinda novamente ao inferno na Terra!!!



Aquela bebê que dormia a maior parte do tempo de uma hora para outra transforma-se numa fábrica de berros e gritos enlouquecedores! Entre andar pela casa com um bebê aos berros a madrugada inteira e ter outra criança te pedindo coisas durante o dia, perdi todos os quilos conseguidos com muito esforço durante a gravidez e mais dois de lambuja!
Posso dizer que definitivamente não é fácil ter filhos e, claro, não é pra qualquer um! Fico imaginando como deve ser enlouquecedor ter gêmeos nessa hora! Chegou ao ponto de eu e Rafa ouvirmos ela chorar até quando estava dormindo placidamente!

Além de você ter um bebê que não para de berrar um segundo sequer, ainda tem outras crianças que precisam de atenção, cuidados, comida, banho, ajuda nas tarefas da escola. O meu maior medo era que o Francisco e o Noah ficassem com ciúmes da irmã porque tínhamos que dar mais atenção pra ela em função das cólicas.

Mas como fazer para atender a bebê que está com dor e depende de você para tudo e não deixar os pequenos de lado? Essa é a grande pergunta que nos fizemos e a solução: divisão de tarefas! O Rafael foi essencial nesse momento pois me ajudava com a bebê para eu fazer a comida, ou ele próprio ia pro fogão preparar alguma coisa para comermos ou ajudava no banho dos dois pequenos! Santa escola que nos dá as tardes livres para cuidarmos só da bebê.

É muito importante ter o apoio do pai nessas horas, pois não sei como seria dar banho nos meninos com a pequena berrando no colo! Fazíamos uma espécie de mutirão para cuidar dos dois pequenos: ele dava banho e eu enxugava e vestia! Ele cuidava da bebê e eu dava o jantar! E assim foi nesse período.

Se seu filho não teve cólicas, sinta-se uma mãe de sorte! Mas eu sei bem o que é sofrer com isso pois o Francisco teve muuuuita e começou tarde (quase 3 meses) e só foi embora por volta dos 5 meses.
Ana Clara foi mais dentro da média e começou com menos de dois meses.
Sobre as comidas que ingerimos e se passa ou não para o bebê que está mamando no peito não sei se é fato ou não. Os pediatras dizem que não tem base científica que garanta afetar o bebê, mas é interessante que você observe quando come determinado alimento se o bebê tem mais cólica ou não. No meu caso notei que o feijão a fazia chorar mais então achei melhor diminuir o consumo para que ela não sofresse tanto.
Se você está aqui procurando soluções mágicas para as cólicas, desista! Não tem o que fazer! Você pode dar remédio para os gases (se o pediatra receitar), pode massagear a barriga, fazer compressa com bolsa de água quente, carregar o bebê pela casa de bruços nos braços ou rezar! Tanto faz! Alivia mas não passa por completo! É questão de tempo e paciência pois o corpo do bebê está em formação e é normal que tenha cólica mesmo!

Entre berros e gemidos... salvaram-se todos!

Uma coisa é fato: na segunda vez é tudo muuuuito mais fácil e tranquilo para lidarmos com a situação. Lembro que com o Francisco eu era muito mais neurótica e morria de medo das coisas não darem certo e também de que essa fase não passasse nunca. Isso fez com que eu sofresse bem mais tempo e ele ficasse muito mal acostumado. Só dormia se fosse no colo, ao menor sinal de que eu não estava por perto abria o bico e raramente dormia em outro colo que não fosse o meu. Além de não pegar chupeta, o que era muito mais cansativo pois ele queria estar sempre grudado no peito.

Pois bem, agora a coisa foi bem diferente. Foi mais fácil lidar com a fase e posso dizer que bem mais rápido para a Ana Clara superar também. Talvez a minha tranquilidade a faça se sentir confiante. Claro que tem o fato de nenhuma criança ser igual à outra e talvez ela seja naturalmente mais tranquila para dormir e passar pelas situações mas o fato é que chegamos agora perto do terceiro mês e ela praticamente não tem mais cólicas!

Agora é hora dela entrar no ritmo da nossa casa!
É bom o bebê recém chegado entrar no ritmo da casa e não o contrário! Jamais devemos deixar que o novo membro da família interfira na rotina já existente, sob risco de termos problemas maiores no futuro.

No próximo post vou falar sobre a famosa rotina e como ela é importantíssima para o bebê e para a família!
Esse é um dos maiores problemas das mães de primeira viagem, passei sufoco com Francisco e agora com a Ana Clara já estabelecemos a rotina para não termos trabalho extra daqui pra frente!
Aguarde que tenho ótimas dicas!

bjinhos
Ale



quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Desabafo de uma grávida: Nem tudo são flores...

Chegamos na reta final da gestação: 36 semanas!

Foto by Vanesa de Lara

Essa é a fase em que não conseguimos mais nos lembrar como é NÃO estar grávida!
Devo confessar que estou mais cansada do que da outra vez. Repouso necessário pra segurar a mocinha, que está tentando vir ao mundo desde os 6 meses - apressada essa menina!

E pra quem acha que gravidez é sempre um mar de rosas, onde é tudo lindo e maravilhoso, vou te contar um segredo: NÃO É!

Nesse período não temos mais posição confortável, seja pra dormir, sentar, andar ou qualquer outra atividade rotineira como amarrar o tênis. Tenho sorte de não ter engordado muito, afinal foram só 8 kg. Tenho sorte também de não inchar com esse calor infernal e incomum que tem feito por aqui, totalmente atípico para Curitiba, considerada uma das cidades mais frias do país. Mas minha pressão anda no pé, é só levantar mais rapidamente que já escurece tudo e parece que vou cair.

Estou cansada, estressada e até um pouco irritada nesses últimos dias.
Minha maior vontade é que a Ana Clara decida vir o mais rapidamente possível para esse incômodo todo passar e eu ter, finalmente, minha pequena nos braços.

Pensar que ainda faltam 4 semanas... será que eu aguento?

bjinhos
Ale

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Férias escolares, e agora?

Férias escolares x cidade x calor x filhos em casa fulltime = mães à beira de um ataque de nervos!
O que fazer para distrair os pequenos nesse período?

Essa questão volta à tona todos os anos nessa época pois temos que nos desdobrar em mil para continuar nossas atividades normais e, ainda, proporcionar atividades interessantes e culturais para divertir e distrair os pequenos.

A saída é procurar atividades pela cidade que sejam divertidas e também educativas.

Uma das ideias que tivemos por aqui foi levar os pequenos para pescar num pesque e pague. Eles amaram e se divertiram muito. Nessas atividades ao ar livre é importante ir preparado para o calor, não esqueça o protetor "celular" (como disse o Noah), repelente e principalmente chapéu para fugir do sol! Esteja preparado para correr atrás da criança e fique sempre muito atento para que nenhum acidente aconteça pois a mistura "água x criança" requer atenção redobrada!

Concentrados!
Fizeram uma pose linda, mas quem pescou mesmo foi a Mamãe!!!
A primeira tilápia de 5!!! Era o meu dia!
Fora isso aproveite o dia e o encantamento que os pequenos vão levar para o resto da vida com o passeio.

Se você não é muito fã de atividades ao ar livre e gosta mesmo é de sombra e água fresca, pode optar por uma atividade num shopping, por exemplo. Aqui em Curitiba o Shopping Pátio Batel está promovendo uma semana cultural com diversas atividades lúdicas e muito bacanas.

São as atrações do "Era Uma Vez...", ação promovida pelo Pátio Batel para meninos e meninas aproveitarem o tempo livre das férias de um jeito mágico.



No átrio do piso L1 as crianças encontram um castelo encantado, onde acontecem divertidas atrações culturais, como teatro de fantoches e contação de histórias. Elas também podem expressar toda sua criatividade no camarim de pintura e dar asas à imaginação no cantinho da leitura.

É uma dica bem legal para levarmos os pequenos!
Confira a programação no link: http://www.patiobatel.com.br/blog/programacao-era-uma-vez/

Gostou das dicas? Tem mais ideias interessantes de atividades na cidade? Então compartilhe conosco nos comentários!

bjinhos,
Ale
Related Posts with Thumbnails