quinta-feira, 20 de outubro de 2011

A Noite das Mães

Olá pessoas, como estão?
Sumida né? Eu sei. Mas anda tudo tão corrido que falta inspiração para escrever.
Pra não deixar o blog tão abandonado, eu hoje me deparei com um texto que vem bem a calhar para todas nós mães! Seja de primeira ou segunda viagem, o texto vai servir para todas.

E para as gravidinhas de plantão, atenção para o maior conselho que podemos dar a todas as mães: DURMAM! Durmam tudo o que puderem durante a gravidez.
Durmam como se não houvesse amanhã. Se alguém te disser o contrário, não escute. Ouça o que eu digo: DURMAM!!

Eles dormem que é uma beleza...

E agora o texto, que tem a ver com o que eu falei aqui em cima:

A NOITE DAS MÃES

"A garota avisa que está grávida. Iniciam-se os cumprimentos, presentes e conselhos: passe óleo de amêndoa na barriga, não deixe de fazer exercícios, capriche na alimentação. Até aí, tudo compreensível e bem aceito. Até que a garota pergunta o que fazer para combater o sono. Percebe-se, então, algo estranho no ar. As mulheres em volta, todas já estreadas no papel de mães, entreolham-se. Do entusiasmo, as amigas passam para a piedade. Durma querida, durma bastante, durma até o meio-dia, durma até a cuca vir pegar, porque o sono tranquilo é uma dádiva concedida apenas às mulheres que não têm filhos.

Banquete em Kosovo. Missa em Ibiza. Forro em Montevidéo. Há muitas coisas que não combinam. Filho e oito horas de sono é uma delas. Dormir é um verbo pouco conjugado na maternidade, a não ser que a mãe tenha babá e enfermeira se revezando e um astral muito, mas muito zen.

O bebê nasceu. Parabéns. Ainda no hospital, você entenderá aquele olhar de piedade das amigas. Você será acordada de hora em hora para tomar analgésicos e antiinflamatórios. Será acordada para amamentar o nenê. Será acordada pelo choro do nenê. Será acordada pela emoção de ter tido um filho. Sim você está achando tudo ótimo.

Em casa, segue a movimentação noturna. Você irá acordar de noite para seguir amamentando. Trocará fraldas de madrugada e fará bilu-bilu no filhote enquanto a cidade está num silêncio sepulcral. E mesmo que o nenê seja tranquilo feito um buda, ainda assim você irá espiá-lo no berço para ver se ele está respirando. Tudo bem, é só uma fase, você pensa.

Uma fase, diga-se, que irá durar até o juízo final. Um pouco mais crescidinho, o bebê desejará ir para sua cama: ou você deixa, e o seu sono já era, ou você não deixa e ele berra, e seu sono, babaus.

Crianças têm sede, febre, medo do escuro, dor-de-ouvido e agitações que fazem as cobertas caírem: em compensação, não têm a mínima noção de que são três da matina e mamãe tem uma reunião de trabalho à qual ela gostaria de comparecer sem olheiras.

Crianças perguntam o que é aids, sexo oral e cocaína, dançam o tchan e preferem a Tiazinha aos Teletubbies: insônia, lá vou eu.

Crianças, finalmente, crescem. Já não exigem vigilância cerrada: escapam madrugada afora, bem longe dos seus bocejos. Aí, mummy, não há Lexotan ou Dormonid que lhe faça capotar antes de ouvir o tão esperado barulhinho da chave na porta, denunciando que estão todos de volta, sãos e salvos. Só então você poderá dormir feito um anjo nos vinte minutos que faltam para o sol raiar."

Martha Medeiros - As noites das mães - Maio de 1999 - e será atual em qualquer época.

Por isso, meninas que se preparam para a maternidade, escutem a voz da experiência e DURMAM!!

Espero que tenham gostado do texto, quando li pensei logo em compartilhá-lo com as amigas do Conversa pra Mãe Dormir, porque até hoje sono é uma coisa complicada pra mim (e olha que o Francisco está dormindo que é uma beleza!).

Bjinhos
Ale
;o)

7 comentários:

Cynthia Santos disse...

Amei!!! Estou compartilhando!! E assino embaixo...e Arthur não dorme que é uma beleza...ahahahaha
Beijos!

Michely Avanti disse...

Adorei o texto. E é tudo verdade mesmo!
Beijo.

Um espaço pra chamar de meu disse...

Martha Medeiros é show, falou tudinho q de verdade acontece...
Depois que se tem filho nunca mais dormimos em paz...
Antes de ter filhos eu sempre pensava como seria,pois amo dormir e caia na cama e desmaiava,ñ via nem temporal durante a madruga, qdo nasceu a 1ª ela respirava fundo e eu estava de pé ao lado do berço,ainda mais q o mesmo ficou no meu quarto...tá que no 2º eu relaxei e quem me chamava pra ver o bb era a mais velha,rsrsrs...Hj eles tem 9 e 11 e perco o sono às vezes qdo sou puxada pelo pé por conta de um medo,uma dor de barriga ou uma crise alérgica deles...Acredito que até mesmo minha mãe ainda perca o sono por causa de mim e dos meus irmãos pra lá de adultos...Grande bj e desculpa o coment post,rsrsrsrs

Ana Karina disse...

Quase chorei!
Lindo, adorei o texto. E é bem assim mesmo... e olha, que o povo avisa e avisa e avisa pra mulher grávida dormir, mas mesmo assim q gente insiste em não dar os devidos ouvidos. =)

Beijocas!
http://amorfraldasemamadeiras.blogspot.com
#amigacomenta

Elaina disse...

É isso mesmo!

Mas não posso reclamar não. Meus filhos desde bebezicos sempre dormiram bastante.

Hoje em dia eles tem 2 e 4 anos, e dormem das 9 da noite até às 9:30 da manhã do dia seguinte!

Mas concordo, noites em claro acompanham a maternidade pra sempre!

Bjos
Elaina Furlan #amigacomenta
http://www.vidademae.net/

Ivana - coisademae disse...

Muito bom!!! Retrato fiel da realidade!!!

Bjos !

Neiza Cabral disse...

Pura verdade! Depois de 1 ano que o Klaus começou a dormir direito. Direito assim... ele acorda 1 vez pra tomar o mamar e volta a dormir, pq antes só a Galinha Pintadinha salvava!

Related Posts with Thumbnails