terça-feira, 1 de março de 2011

Blogagem Coletiva: PALAVRA DE PAI


 Ser Pai!

Bom, primeiro eu aprendi como não ser um bom pai.

Quando meu primeiro rebento nasceu, Yan, eu estava fora do país e não ao seu lado como queria, e aí começa uma história que não cabe ser contada agora. Basta dizer que eu só o conheci 19 anos depois.

Hoje, com 22, somos amigos mas ainda estamos namorando. Eu me orgulho do homem que ele se tornou. Ele é uma pessoa linda por dentro e por fora, um músico e compositor de primeira (líder da banda Cosmonave) e, apesar de um grande artista, é um Homem humilde e muito querido com todos.






Chico Terra e Yan Sol
Depois nasceu minha filha Ana, fruto de um segundo casamento que acabou meses depois de seu nascimento. Outra história que também não cabe ser contada aqui. Com a Ana foi um pouco diferente pois eu estive na sua chegada ao planeta. Apesar de separado e quase sempre em tournée com minha cia de teatro pelo país, eu pude curti-la e ser pai até os 4 anos, quando daí então, ela foi morar fora do país com a mãe. Quase morri. Ela passou a vir nas férias para o Brasil e, durante um mês e meio por ano, eu me esmerava em ser o pai que o resto do tempo estava ausente. Agora ela tem 16 anos e é uma linda mulher que pratica hipismo, uma excelente amazona que tem o domínio completo de sua égua e salta com classe e determinação.Também é dona de uma personalidade forte e do olhar mais meigo do mundo,hehe.

Ana Beatriz e Chico
 
Daí então veio o Francisco, meu caçula com quase 3 anos que virou a minha vida de cabeça pra baixo e a cada dia que passa me dá mais e mais motivos para crescer e, consequentemente, ser um bom pai não só para ele mas para seus dois irmãos.


Filhos,vocês são meus heróis e meus bandidos. Acho que estou longe de ser um bom pai, mas estou no caminho. Tento não deixar que o trauma que foi a separação dos dois primeiros, influencie na educação de meu pequeno Chico, do contrário acabaria cedendo a todas sua vontades e mimando nas horas erradas.


Concordo que ser pai é estar sempre ao lado, disponível e com muito carinho ser um farol, um guia e um protetor. Acima de tudo um Amigo e, como tal, pegar no pé quando for preciso, não ceder quando ele me testa com alguma birra e ser tolerante em alguns momentos em que ele pisa na bola. O sentimento de amor é inexplicável quando brincamos e damos gargalhadas, mas creio que esse mesmo sentimento deve estar presente quando você tem de dizer não!


Acho que o maior desafio para um pai com quase meio século como eu é passar os valores universais como: educação, respeito, solidariedade e responsabilidade. Ainda mais nessa era tecnológica onde tudo acontece muito rápido e como diz Paulinho Moska: "Tudo se compõe e se decompõe" (...) a uma velocidade estonteante onde não há tempo para digerir as informações. Esse acúmulo de teorias não praticadas, pode levar a pessoa a perder a humanidade e a se robotizar.
Creio que a sensibilidade é tudo na expansão da consciência e achar o equilíbrio é a meta. 
Porém o amor é a força mais poderosa do universo, então ser Pai é Amar. Seja dizendo sim ou tendo que dizer não.
Ser pai, é amar o filhote tanto ou mais que a si mesmo.
Ser pai é amar.
Gelson Schimanski
  
*Este post foi escrito pelo Gelson, pai do Chico, do Yan e da Ana. Que quando não está sendo pai brinca de produtor teatral, diretor e ator.

13 comentários:

Ivana (Coisa de mãe) disse...

Gelson, que histórias lindas! Parabéns pelo filhos tão talentosos! Adorei.

Bjos,
Ivana

Fabi Coltri disse...

Que máximo!!
Qta história tem aí.

Parabéns pela família linda que você tem.


Beijoos

Carol Garcia disse...

muita história, muita.
mas o bacana é ele se encontrar no meio de tantas idas e vindas e sorrir aí, curtindo cada pedaço dos filhos.
um amor!
bjocas

Paula Dreger disse...

Lindo texto Alê!
E muito lindo o final do post.
beijos

Ana Paula - Journal de Béatrice disse...

Lindas palavras. As fotos foram escolhidas a dedo hein! E muita sabedoria ao falar que ser Pai é amar, seja dizendo sim e não.
Bjs : )

Roberta Lippi disse...

Que bacana esse depoimento, Ale. Que aprendizado e evolução do Gelson como pai. Aliás, Gelson, parabéns por expor sua relação com os filhos assim, sem perfeições.
E a vida é assim. A gente erra, aprende e toca a vida pra frente, fazendo sempre o melhor possível.
beijos

Mamma Mini disse...

Que legal, adorei conhecer um pouco da história do pai do Chico, pois do Chico e da mãe dele Alê eu já sou fã de carteirinha! rs e temos várias afinidades né?
e a propósito, é isso mesmo, a gente tenta todos os dias ser pais melhores para nossos filhos e aprendemos diariamente. A vida é mágica e nos dá oportunidades o tempo todo, isso é o máximo. Um beijo para os cinco! rs bjo!

Thaís Rosa disse...

uau, que história!
tudo a seu tempo, e o pequeno chico funcionando como elo entre todas elas...
lindo! muito legal conhecer essa história de um pai que foi se construindo diferente a cada filho, e que hoje se entrega inteiro a cada um.
beijo!

Beta, a mãe disse...

Adorei a história, acompanho o blog de longe, mas achei muito legal ver um pai que ainda aprende mesmo tendo outros filhos já grandes. Adorei as fotos também, todas lindas e com uma cumplicidade de babar.

Taty e Pedro Henrique disse...

Gel, me arrepiei.....que sábias palavras...que família linda...beijos

Vanessa Ribeiro disse...

Ai, estou adorando esta blogagem coletiva e a cada post que leio choro. Putz, virei uma manteiga derretida desde que sou mãe viu_

Linda história. Gostei do jeito transparente do Gelson de contar a sua experiência de pai.

ah, e tem selinho pra você lá no blog viu?

Beijos
Van

www.coisasminhas.com

Gelson disse...

Olá Ivana, Fabi, Carol,Paula, Ana Paula, Roberta, Mamma Mini, Thais, Beta, Taty e Vanessa Ribeiro.
Obrigado. Apesar de momentos difíceis, desencontros e perdas essa história é realmente linda e ainda não acabou. Um amigo, certa feita, disse-me: Muito da criação de nossos filhos consiste em tentativa e erro, até que se acerta e a harmonia reina...
Sigo tentando e errando e acertando e errando mas,acima de tudo, amando cada filhote como eles são e a mim como eu sou.
Busco ao máximo o equilíbrio de modo que seja bom e gostoso para os dois lados.
Fiquei emocionado com os depoimentos e motivado a seguir em frente.
Um beijo e muito, muito Obrigado.
Até!!

Alessandra Pilar disse...

Olá meninas que por aqui passaram nesse post. Obrigada a todas pelos comentários!
Gelson já respondeu os comentários de vocês mas eu gostaria de dizer que tb fiquei emocionada com o que vcs disseram. Obrigada.
bjinhos

Related Posts with Thumbnails